Policial morto em São Gonçalo será sepultado hoje

Será sepultado nessa terça-feira (27) o corpo do policial militar Thiago Lopes Gonçalves, morto no último domingo (25), durante tiroteio com criminosos no bairro do Porto do Rosa, em São Gonçalo. A esposa do agente esteve na manhã de ontem no Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, na mesma cidade, para tratar dos trâmites de liberação para o funeral.

A esposa do militar, que era lotado nas Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom), foi acompanhada por colegas de farda de Thiago, também lotados na unidade. No final da manhã, o corpo do PM foi liberado pelo IML e encaminhado à capital, onde acontecerá a cerimônia.

O policial militar estava em serviço no domingo quando foi atingido por tiros em ação de patrulhamento na Estrada da Covanca, Porto do Rosa, em São Gonçalo. O Cabo Thiago foi socorrido ao Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), em São Gonçalo, mas não resistiu aos ferimentos.

O cabo Thiago Lopes Gonçalves ingressou na corporação em 2012. Ele tinha 37 anos e deixa esposa. O sepultamento deverá acontecer na terça-feira, ainda sem horário definido, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Preso em flagrante – Dois suspeitos morreram no local da troca de tiros. Um terceiro envolvido foi levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG). De acordo com a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), o acusado que sobreviveu foi preso em flagrante pelo homicídio contra Thiago. O detento está internado, sob custódia. Drogas foram apreendidas na ação.

Histórico – A região do Porto do Rosa é um conhecido ponto de atuação do tráfico de drogas em São Gonçalo. Na edição deste final de semana de A TRIBUNA, a instalação de barricada em uma via do bairro, impedindo acesso de coleta de lixo e ambulâncias, foi tema de reportagem.

A obstrução teria sido instalada no dia 1º de abril deste ano, na esquina com a Rua Padre Nicolau Luiz. A barreira está em cima da ponte sobre um valão. Foram colocados dois galões de combustível e mais uma pilha de anéis de concreto. Tudo foi fixado ao solo com concreto. Apenas um espaço para pedestres, motos e bicicletas está aberto. Automóveis não conseguem mais passar.

Por conta do avanço do crime organizado na cidade, a Recom teve sua atuação ampliada em São Gonçalo. Antes, os agentes realizavam patrulhamento apenas em rodovias, como a BR-101 e RJ-104. Desde o início de abril, o policiamento se estendeu para vias estratégicas do município.

De acordo com a Recom, responsável pelo patrulhamento intensificado, o comando da corporação identificou uma acentuação da movimentação criminosa em algumas regiões de São Gonçalo. Como parte do planejamento estratégico de atuação, equipes da Recom foram direcionadas para aplicar um policiamento direcionado na região.

“Houve uma priorização nas abordagens de motocicletas e automóveis, o que trouxe como resultado uma evolução no número de prisões, nas apreensões de armas e na recuperação de veículos roubados. Vale ressaltar que todo o trabalho ocorre de forma integrada com o 7º BPM”, frisou Marcelo Malheiros, comandante da unidade, na semana passada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 6 =