Policiais poderão usar armas apreendidas de traficantes

O ministro da Justiça, Alexandre Moraes, anunciou nesta terça-feira (16), durante uma entrevista coletiva no Rio, que está redigindo dois decretos que devem facilitar as polícias estaduais no combate à violência, no que diz respeito ao acesso as armas com grande poder de fogo, como fuzis (por exemplo). Um deles autoriza a polícia ao uso de armas de fogo de grosso calibre apreendidas no trabalho de repressão criminal diário. Esse decreto suspenderá o envio dessas armas para serem destruídas pelo Exército. O anúncio foi feito durante coletiva sobre a operação para prender criminosos que atacaram policiais da Força Nacional de Segurança e mataram um soldado na semana passada. O outro decreto anunciado pelo ministro deve agilizar e desburocratizar a comprar de armas que são utilizadas pela polícia.
“Conversei com os chefes militares e eles concordaram com a ideia. As armas não precisarão mais ser destruídas, elas poderão ser usadas por policiais. O decreto será assinado até o fim do mês e já entrará em vigor” afirmou Alexandre Morais, que por sua vez justificou que quando era secretário de Segurança Pública de São Paulo, esbarrava na burocracia dificultava a aquisição de armas para as polícias. “Tivemos de esperar nove meses para comprar 740 fuzis. As polícias necessitam de armamento sofisticado para combater o tráfico de armas e de entorpecentes”, explicou.
O ministro adiantou ainda na coletiva que o ministério deseja dar maior suporte logístico, financeiro e operacional no combate à violência. “Criaremos cinco núcleos permanentes de inteligência e operação para combater traficantes de armas e de drogas. Estes núcleos serão instalados no Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, porque estes estados fazem fronteira com Bolívia e Paraguai, países que tem tráfico de drogas e armas. E no Rio e em São Paulo porque são “estados consumidores de drogas e de entrada de armas pesadas”. No primeiro semestre desse ano, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), foram apreendidas 215 armas, sendo 43 em janeiro, 31 em fevereiro, 42 em março, 38 em abril, 39 em maio, e 22 em junho. Várias desses armas apreendidas eram armas de grosso calibre, como fuzis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 2 =