Gestante dá a luz a bebê em São Gonçalo com ajuda de PMs

Raquel Morais

O clima no 7º Batalhão de Polícia Militar de São Gonçalo (BPM) foi de felicidade e muito orgulho durante todo o dia de ontem. Assim definiu o tenente-coronel Gilmar Tramontini, comandante da unidade, ao saber que seus comandados ajudaram uma família no momento mais importante: o nascimento de um bebê. Dois policiais abriram caminho, no congestionado trânsito de São Gonçalo, até a maternidade para que a pequena Lavínia chegasse ao mundo com segurança.

O assunto ganhou notoriedade após uma postagem nas redes sociais do pai da recém-nascida, o enfermeiro Adriano Macedo de 32 anos. Sua esposa, a também enfermeira Beatriz Lopes, de 32 anos, estava com a cesária marcada para as 18h30min da terça-feira (17) em uma maternidade de Niterói, no bairro de São Francisco. Mas a pequena Lavínia não aguentou esperar e deu sinal que queria sair logo da barriga da mamãe.

“A bolsa da minha esposa estourou e nos preparamos para sair de casa. Entramos no carro e fomos de Silva Jardim para Niterói. Mas quando estávamos em São Gonçalo, na BR-101, o trânsito estava muito congestionado e vi que precisava tomar uma atitude mais enérgica”, contou.

Beatriz estava com muitas dores, perdendo muito líquido e tendo contrações de três em três minutos.

“Eu parei e falei com os dois policiais que precisava de ajuda para chegar ao hospital, senão minha esposa ia parir dentro do carro. Eles prontamente seguiram na nossa frente abrindo o trânsito. Algumas pessoas tentaram seguir a viatura e eu tive que gritar algumas vezes que minha mulher estava em trabalho de parto. Eles nos deram essa ajuda até a maternidade”, lembrou.

Adriano ficou tão grato com a ajuda dos militares que pediu a autorização de uma fotografia com os policiais e postou na internet um texto agradecendo a atitude dos militares.

“Solicitamos ajuda para realizar um batedor para conseguirmos chamar a tempo de realizar o parto com a equipe médica. Prontamente os soldados Luiz e Arantes o fizeram e conseguimos chegar bem e a tempo na maternidade. Meus eternos agradecimentos e respeito para estes dois profissionais e toda a polícia militar que foi muito solícita e atenciosa conosco”, dizia parte da postagem nas redes sociais de Adriano.

O soldado Luis Coelho, que participou junto com o soldado Arantes da ‘ocorrência’, disse ter ficado emocionado com o trabalho inusitado.

“Foi a primeira vez que passei por uma situação como essa. Estou há dois anos trabalhando como policial militar e isso me emocionou muito. Também fiquei muito contente pela homenagem que recebi, junto com o meu colega, pelo pai. Nós não conhecíamos a área de Niterói e a ideia principal era fazer a abertura do caminho até a primeira viatura do batalhão de Niterói. Não encontramos e resolvemos, na hora mesmo, ir até a maternidade para ajudar o casal”, lembrou.

O comandante do 7º BPM São Gonçalo felicitou o ocorrido e ressaltou o nível de profissionalismo e comprometimento dos militares.

“Eles foram fundamentais para tudo ocorrer bem. Sinto muito orgulho deles. Essa ocorrência é mais uma ocorrência que demonstra o nível de profissionalismo e comprometimento de servidores públicos com a sua vida a tentar resolver questões que a solução não passa pela mão deles. A mobilidade urbana de São Gonçalo não é responsabilidade da polícia militar mas os militares resolveram esse problema naquele momento”, comemorou.

Adriano e Beatriz estão casados há cinco anos e Lavínia veio ao mundo com 3.380 quilos e 48 centímetros para somar na família, que já tem o Otávio de cinco anos.

“Só tenho a agradecer ao Senhor por mais esse milagre. Eu ainda quero agradecer de novo aos policiais que nos ajudaram. Estamos acostumados a ver muitas notícias negativas que envolvem policiais e essa é uma notícia e uma experiência maravilhosa que a gente teve”, finalizou. Adriano ainda reforçou que ainda não foi feito nenhum contato dos policiais para conhecerem a sua filha, mas se eles quiserem será uma felicidade muito grande.

Esta não foi a primeira vez que policiais do 7º BPM ajudaram no nascimento de crianças. No início desse ano, em 13 de janeiro, outros dois policiais militares de São Gonçalo ajudaram uma mulher em trabalho de parto, mas no caso de Caroline de Amorim, de 24 anos na época, o parto aconteceu dentro do veículo. O dia era de chuva e o trânsito também estava congestionado. Enzo Gabriel nasceu nas mãos dos militares com 4,8 kg e 53 cm.

Em 24 de maio de 2019 foi vez da gestante Pâmela Balbino da Conceição também ter ajuda da corporação de São Gonçalo. Os policiais ajudaram abrindo caminho na RJ-104, altura do Jardim Catarina, até um hospital no Fonseca, em Niterói. A pequena Sabrina nasceu minutos depois sem nenhuma complicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − um =