Policiais do Rio viajam 2,6 mil km para prender acusado de abusar da neta

Existem pessoas com pendências judiciais que acreditam estarem livres de pagar pelos crimes que cometeram, ao fugir para lugares distantes e, por vezes, isolados. Contudo, nessa terça-feira (17), policiais civis do Rio de Janeiro provaram que nem mesmo milhares de quilômetros de distância para o alvo irão impedir que prisões sejam realizadas. A ação foi coordenada por agentes da 56ª DP (Comendador Soares), localizada em Nova Iguaçu.

Agentes da distrital viajaram, por dois dias, aproximadamente 2,6 mil km, até a cidade de Pocinhos, no Estado da Paraíba, para capturar um homem acusado de estuporar a neta, de apenas 8 anos de idade. O crime foi cometido na região de Comendador Soares mas, após ser denunciado por familiares, o acusado fugiu para o município, localizado nas adjacências de Campina Grande.

Polícia conseguiu localizar a prender foragido – Foto: Reprodução

O registro do crime foi feito por familiares que relataram, aterrorizados, os abusos que o acusado cometia com a neta. De acordo com a distrital. Investigação apontou que as ações criminosas vêm de antes, pois com a decisão de familiares em denunciar o caso, vieram à tona práticas passadas nas quais o homem abusava sexualmente do próprio filho, tio da vítima menor, inclusive com práticas de zoofilia.

A distrital aponta que o acusado sempre dissimulava os parentes de forma a que não acreditassem nas histórias contadas, e, tão logo o registro foi realizado e as investigações prosseguiram, o autor fugiu para a cidade de Pocinhos. Foi realizado trabalho de investigação e inteligência, sendo possível detectar e confirmar a presença do foragido naquele município.

A prisão

Após descobrir a localização do homem, policiais da distrital partiram, no começo desta semana, em direção à Paraíba, a fim de capturar o fugitivo. Foi feito contato com a Polícia Civil paraibana para apoio. A equipe da 56ª DP se deslocou por 2,6 mil Km, conseguindo encontrar e prender o autor, que agora será encaminhado à Justiça.

Após receber voz de prisão preventiva, o acusado foi encaminhado à uma unidade prisional local. Ficará a cargo do Poder Judiciário realizar os trâmites de transferência do homem para o Estado do Rio de Janeiro, onde responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 9 =