Polícia tenta conter expansão de facção em Niterói

Em poucos dias policiais militares voltaram a incursionar e a intervir numa violenta disputa entre facções rivais que ocorre na região entre o Morro do Estado, no Centro, e no Palácio, no Ingá. Na manhã de ontem, militares vasculharam as comunidades que compõem o Complexo do Estado, e moradores relataram que um intenso confronto ocorreu, sem saldo divulgado até o fim da manhã. Anteriormente, a polícia já sabia que traficantes, inclusive vindos do Rio, ligados à facção criminosa Comando Vermelho (CV), tomaram os pontos de venda de drogas no Morro do Estado, que era ligado a rivais do TCP. O domínio foi estendido, ainda na semana passada, para o Morro do Palácio, onde quem foi expulso foram rivais da ADA.

Com essas ações, a PM espera conter o ímpeto dos traficantes, fortemente armados, e impedir uma guerra de traficantes, que pode se estender até mesmo para as comunidades da Zona Sul de Niterói. Na manhã de domingo, moradores de Icaraí, São Francisco e região se assustaram com uma intensa troca de tiros, que teria começado quando traficantes do CV atacaram a tiros a base do 12º BPM no Morro do Cavalão. Houve confronto e, inclusive policiais que faziam patrulhamento nas imediações do túnel, que liga Icaraí a São Francisco, foram atacados. O fluxo do trânsito na Estrada Fróes chegou a ser interrompido por duas vezes e alguns motoristas, devido a troca de tiros, manobraram e retornaram na contramão.

Vale ressaltar que há cerca de um mês o comando do 12º BPM havia decidido pela ocupação por tempo indeterminado da comunidade, reforçando inclusive o número de policiais no posto, depois que uma viatura fora atacada na entrada do túnel. Outras guarnições reforçaram o patrulhamento em pontos estratégicos da comunidade, onde a venda de drogas é ligada ao CV. Na semana passada, ao tomarem conhecimento que o CV havia invadido também o Morro do Palácio, a PM incursionou na localidade. No confronto que se seguiu, um homem morreu, uma arma e drogas foram apreendidas.

A invasão nos morros do Estado e Palácio conta com suporte de comparsas ligados à mesma facção que domina outras comunidades do CV na Zona Sul, como Cavalão, e da Zona Norte de Niterói, que fornecem “soldados do tráfico” e armas. Existe informes que bandidos, ligados ao tráfico em comunidades do Rio, como o Complexo da Maré, também estariam atravessando a Ponte para fomentar a guerra de facções em Niterói.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 12 =