Polícia realizará reconstituição da morte no jovem João Pedro

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) está programando para os próximos dias um trabalho de reconstituição da morte do adolescente João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, que na segunda-feira (18) foi morto, dentro de uma residência, na Praia da Luz, no Salgueiro, São Gonçalo, durante uma operação conjunta de policiais federais e agentes da Core. A data ainda não foi marcada, faz parte do trabalho de investigação para esclarecer várias dúvidas ainda pendentes.

Amigos e familiares estão programando para a tarde dessa sexta-feira (22) um ato de protesto, pedindo paz, na entrada do bairro do Salgueiro. Com base em perícias já realizadas, a polícia já sabe que o disparo que atingiu e matou o adolescente partiu de um fuzil, calibre 5.56, utilizado pela polícia. No interior da residência onde João Pedro Pedro foi baleado, foram enumerados marcas de 72 disparos espalhados pelas paredes.

A polícia alega que estava perseguindo criminosos que invadiram o imóvel. Depois de atingido, João Pedro foi levado pelos agentes num dos helicópteros que devam suporte a operação e levado para um heliponto, na Zona Sul do Rio, onde faleceu, ao invés de socorrido numa unidade hospitalar mais próxima, em São Gonçalo, como o Hospital Estadual (Heat), no Colubandê. Familiares só localizaram o corpo de João Pedro cerca de 17 horas depois da operação, no IML de Tribobó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *