Polícia realiza operação contra o tráfico no Complexo do Estado

Desde as primeiras horas da manhã de ontem um grande contingente de policiais militares do 12º BPM (Niterói), com suporte do 7º BPM (São Gonçalo) e blindados, coordenados pelo Comando de Policiamento de Área (CPA) percorreu e vasculhou as localidades que compõem o Complexo do Estado – morros do Estado, Arroz, e Chácara –, no Centro, em busca de criminosos que estão tirando a paz dos moradores da região há vários dias em meio a uma disputa de facções pelo controle da venda de drogas.

Moradores das comunidades relataram clima tenso, com registro de confrontos entre bandidos, que ousados e fortemente armados, chegaram a postar mensagens de ameaças, sobretudo aos policiais e rivais nas redes sociais. Além da prisão dos envolvidos na guerra de facções, o objetivo da ação foi devolver a sensação de paz aos moradores. Na operação, dois homens foram presos e autuados por porte ilegal de armas e tráfico de drogas. Eles foram identificados como Fabrício Cardoso, de 22 anos, e Jonathan Adriano Ribeiro de Carvalho, de 18 anos. Com a dupla a polícia apreendeu duas pistolas, uma granada e um rádio transmissor. Desde a semana passada a polícia vinha recebendo denúncias de que traficantes rivais, muitos vindos de outras comunidades e até de outros municípios estariam mais uma vez medindo forças pelo controle do tráfico na região.

As duas facções envolvidas seriam o Terceiro Comando Puro (TCP) e Comando Vermelho (CV). Tentando demonstrar poder de armamento e intimidar os rivais, bandidos chegaram a postar um vídeo nas redes sociais exibindo armas de grosso calibre e fazendo ameaças. De acordo com informações, traficantes do TCP estariam no momento controlando a venda de entorpecentes no Complexo do Estado, mas rivais do CV estariam tentando retomar o controle do tráfico, o que está acarretando vários confrontos que assustam e colocam em risco a comunidade.

“Estadão de Niterói, só TCP na pista. Sem bala contada para alemão. Tiro, porrada e bomba”, afirmou um dos criminosos que se exibe armado com um fuzil nas redes sociais.

Território cobiçado

O enfrentamento entre traficantes rivais pelo controle do tráfico no Complexo do Estado se arrasta há muito tempo. No ano passado várias operações foram promovidas, resultando em prisões, apreensões e até mortes decorrentes de confrontos com a polícia. Em agosto, uma troca de tiros registrada na comunidade vizinha do Palácio, no Ingá, também muito cobiçada por traficantes rivais deixou três mortos.

Dois meses antes, em junho, oito suspeitos foram presos, um morreu, e outro foi baleado, todos suspeitos de envolvimento com o tráfico no Morro do Estado. Além das prisões, foram apreendidos dois fuzis, três pistolas, duas granadas e grande quantidade de drogas. Na ocasião, três marginais conseguiram furar o cerco policial e tentaram fugir em um táxi. Militares do Niterói Presente foram acionados e conseguiram localizar os fugitivos enquanto cercavam a comunidade. Com eles foram encontrados mais um fuzil e uma pistola.

Ainda no mês de junho, uma ação conjunta resultou na prisão de Jorge Fraga de Oliveira Júnior, de 39 anos, conhecido como Cachorrão, um dos líderes do tráfico no Morro do Estado e do TCP na cidade. Pouco antes da prisão ele também teria tentado tomar os pontos de venda de drogas na comunidade Buraco do Boi, no Barreto, com ajuda do traficante Thomas Jhaison, o 3N, ex-líder do tráfico Complexo do Salgueiro e do CV, que morreu em confronto com policiais do 7º BPM e agentes do Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) em novembro do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 7 =