Polícia procura criminoso que aterroriza passageiros na RJ-104

Augusto Aguiar –

Ele embarca quase sempre no mesmas localidades – Trobobó, Maria Paula ou nas imediações de Santa Bárbara – e a cada vez que isso acontece é uma ocorrência de roubo de passageiros de coletivo que é registrada na delegacia da área. Por isso, a equipe de investigação 78ª DP (Fonseca) está convocando a população para ajudar na identificação do criminoso que está aterrorizando os usuários dos ônibus que trafegaram pela Rodovia Amaral Peixoto (RJ-104). De acordo com denúncias, são diversos assaltos registrados pelo mesmo bandido.

Assalto a ônibus RJ-104

Registrado em câmeras de segurança instaladas em coletivos, a polícia explicou que o marginal teria aparentemente 22 anos, usa sempre mochila de cor cinza com detalhes e boné, embarca na altura de Tribobó, do Viaduto de Maria Paula ou mesmo próximo ao bairro de Santa Bárbara. Depois de roubar os passageiros, o acusado desembarca sempre na altura da localidade do Novo México ou mesmo em Maria Paula. Ataca na maior parte das vezes sozinho, mas em algumas atua acompanhado de um comparsa também com aparência jovem, na mesma faixa etária, moreno, magro e com rosto fino. Ainda segundo a descrição dos agentes, a dupla, armada com pistolas, rende as vítimas em horários dos mais variados ao longo do dia. Os investigadores detalharam ainda que a preferência dos criminosos vem sendo os roubos praticados aos usuários das empresas Fagundes e Nossa Senhora do Amparo. Os agentes checam informações que a dupla seria oriunda do bairro santa Bárbara e qualquer informação anônima poderá ser feita pelo whatsapp da delegacia 9 9315-2472 ou pelo Disque Denúncia (2253-1177).

Na sua edição do fim de semana, A TRIBUNA já havia informado que usuários de coletivos, que fazem o trajeto do Centro do Rio para Maricá, Niterói e São Gonçalo, passando pela Ponte Rio-Niterói, haviam se tornado os alvos preferidos dos assaltantes, que quase sempre embarcam nos coletivos num ponto de ônibus com grande movimentação de passageiros situado na Avenida Francisco Bicalho, Zona Portuária do Rio, nas imediações do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). De acordo com as vítimas, os bandidos que invadem os coletivos, ordenam que os motoristas saiam do trajeto habitual e enquanto rendem os passageiros e roubam os pertences das vítimas. Grande parte das vítimas não registra queixa desses assaltos. Dezenas dessas ocorrências foram relatadas pelas empresas, na sua grande maioria na 17ª DP (São Cristóvão).

De janeiro a outubro deste ano, a distrital registrou 689 ocorrências desse tipo de crime, um aumento de 57% em relação ao mesmo período do ano passado (438).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + sete =