Polícia prende mais 13 pessoas em Niterói e Região dos Lagos

Augusto Aguiar –

Agentes da Polícia Civil, ligados ao 4º DPA (Departamento de Polícia de Área), coordenados pela 79ª DP (Jurujuba) deram prosseguimento, na manhã desta quarta-feira (05), a uma ação iniciada no mês de janeiro, a Operação Escotilha 2, prendendo 13 pessoas em localidades de Niterói (Jurujuba), e da Região dos Lagos (Bacaxá). O total de Mandados de Prisão cumpridos, somando-se os que foram efetuados de presos que já estão acautelados no sistema penal totalizou 28, somente pela manhã.

Os agentes de equipes ostensivas e de inteligência vasculharam, em Jurujuba, as localidades conhecidas como Morro do Cascarejo e Peixe Galo, além de outras em Bacaxá. O trabalho das equipes prosseguiu durante toda manhã.

Em janeiro desse ano, a primeira fase da mesma operação resultou no cumprimento de outros 20 Mandados de Prisão, nas mesmas localidades de Jurujuba, além do Morro do Preventório, em Charitas, Zona Sul. O objetivo foi sufocar a ação de um numeroso grupo de traficantes que durante bom tempo estava aterrorizando os moradores dessa comunidades, inclusive interferindo no fornecimento de serviços para a população e ameaçando moradores. Técnicos de empresas de informática que trabalham no fornecimento de sinais de internet, de empresas de gás, de eletricidade e outros foram vítimas da ação dos traficantes, que tinham por objetivo além de implantar a venda de drogas em Jurujuba, cobrar pelo serviço essencial oferecido por empresas na região.

Dos 20 mandados judiciais cumpridos na primeira fase da operação, dez foram dentro de unidades prisionais, contra criminosos acusados de darem ordens e de envolvimento nos mesmos delitos, e os os outros dez nas ruas. As ordens para expansão do tráfico para Jurujuba teriam, segundo trabalho de investigação, partido de criminosos oriundos do Morro do Preventório, ligados a facção Comando Vermelho (CV). Haviam relatos, por exemplo, de morador espancado, segundo a polícia por ordem de um criminoso identificado como Leonardo Caldas de Araújo, conhecido como Léo Traça (já preso), através de ordens que partiram do sistema penitenciário para comparsas nas ruas.

Outra denúncia encaminhada para a polícia foi a de que um policial militar, que teria sido expulso de sua residência. Um dos bandidos apontados por envolvimento com o grupo do Preventório, segundo os agentes era Gabriel dos Santos Soares, de 22 anos, conhecido como Mata Rindo, apontado como um dos bandidos mais procurados de Niterói. Ele morreu em confronto com a polícia, no início do mês passado e era um dos bandidos procurados na primeira fase da Operação Escotilha. O total de Mandados de Prisão nas duas fases da operação até a manhçã de ontem foi de pelo menos 48.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 12 =