Polícia investiga assassinato de travesti no Centro de Niterói

A Polícia investiga o assassinato de uma travesti, identificada como Dandara, que teria entre 45 e 50 anos, na manhã desta sexta-feira (13), na Região Central de Niterói. Coletivos negros e movimentos sociais, por meio das redes sociais, se manifestaram contra o crime e convocaram um ato em protesto, marcado para o lugar onde o corpo foi encontrado.

Segundo a polícia, o corpo foi localizado em uma das avenidas mais movimentadas de Niterói, próximo ao campus da Universidade Federal Fluminense (UFF). Até o momento, não há indícios das circunstâncias do crime, que será investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG).

Segundo informações da especializada, um morador de rua, ao encontrar o cadáver, atrás da Praça Juscelino Kubitschek, que fica na Avenida Visconde do Rio Branco, Centro da cidade, acionou policiais militares, que faziam patrulhamento pelo local. Após confirmar o fato, os militares chamaram a equipe de perícia da delegacia.

De acordo com os policiais, a vítima tem pele negra e aparenta ter entre 45 e 50 anos. Ela estava vestindo calça jeans, casaco cinza e blusa azul. Não havia sinais de violência sexual. A delegacia irá buscar informações de testemunhas e possíveis câmeras de segurança que ajudem a desvendar a dinâmica do crime. Após a perícia, o corpo foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade, no bairro do Barreto.

O Grupo Diversidade Niterói (GDN), que apoia a causa LGBTQIA+ e tem sua sede próximo ao local do crime, convocou, para a próxima segunda-feira (16), um ato em protesto na Praça Juscelino Kubitschek, onde o corpo de Dandara foi localizado. Segundo fontes ligadas aos movimentos sociais, horas após o registro do caso, começaram a ser colhidos depoimentos a fim de auxiliar no esclarecimento do crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + 8 =