Polícia Federal reconstrói cena do assassinato de Dom e Bruno

A reconstituição da cena do crime do caso do indigenista Bruno Araújo e do jornalista inglês Dom Phillips, foi realizada nesta quarta-feira (29), por equipes das polícias Civil e Federal, além do Exército Brasileiro, em Atalaia do Norte. 

Amarildo da Costa Oliveira, o “Pelado” e Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha”, que são os suspeitos do caso, foram levados pelos agentes de segurança até a cena do crime.  Na primeira reconstituição, Amarildo acusou Jeferson de ter atirado nas vítimas. 

Porém, quando Jeferson foi preso, ele acusou Amarildo de ter sido o autor dos disparos contra Bruno e Dom. A reconstituição realizada nesta quarta, foi com o objetivo de entender as duas versões. 

Durante a remontagem da cena do crime, os policiais fizeram todo o trajeto feito pelas vítimas na época, passando pelas comunidades São Rafael, São Gabriel e Cachoeira. Usaram ainda as embarcações utilizadas no dia, para entender a velocidade que Bruno e Dom estavam para tentar fugir dos criminosos. 

Os agentes também foram onde as vítimas foram assassinadas e no local onde os corpos foram escondidos. Durante a ação, sacos pretos foram usados para simular os corpos. 

De acordo com a polícia, eles estavam verificando a versão em que Amarildo conta dizendo que Bruno revidou os tiros durante. No entanto, ainda não se sabe quem efetuou os disparos primeiro. 

Em entrevista, Alex Perez, delegado de Atalaia do Norte, explica que foram ouvidas 20 testemunhas, sendo 17 testemunhas e três suspeitos. E, o superintendente da Polícia Federal, Eduardo Fontes, diz que pode haver um mandante do crime que aconteceu no dia 17 de junho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.