Polícia Federal desarticula grupo de hackers que invadiu sistemas do TSE

Uma operação conjunta, da Polícia Federal brasileira e a Polícia Judiciária Portuguesa, resultou na prisão, nesse sábado, em Portugal, de um suspeito de envolvimento no ataque hacker ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que acarretou a divulgação de dados do órgão, no primeiro turno das eleições municipais, no último dia 15.

A PF informou que as investigações apontaram para um grupo de hackers brasileiros e portugueses, liderados por um cidadão de nacionalidade portuguesa, que arquitetou ataques criminosos aos sistemas do TSE no primeiro turno das eleições. No Brasil foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados, nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Além da prisão efetuada em Portugal, foi cumprido ainda um mandado de busca e apreensão. As ações integram a Operação Exploit.

Os mandados cumpridos no Brasil foram expedidos pelo Juízo da 1ª Zona Eleitoral do Distrito Federal, após representação efetuada pela Polícia Federal e manifestação favorável da 1ª Promotoria de Justiça Eleitoral. A PF apura o acesso ilegal aos dados de servidores públicos, divulgados no dia 15, além de outras atividades criminosas do grupo. Os crimes apurados no inquérito policial são os de invasão de dispositivo informático e de associação criminosa, ambos previstos no Código Penal; além de outros previstos no Código Eleitoral e na Lei das Eleições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − dois =