Polícia Federal apreende 15 girafas que seriam destinadas ao Bioparque

A Polícia Federal apreendeu 15 girafas e está investigando a morte de outras três em um resort safari na cidade de Mangaratiba, Costa Verde do Rio de Janeiro. De acordo com as informações iniciais da apuração feita pela PF, os animais seriam destinados ao Bioparque, zoológico localizado na capital fluminense.

Durante a ação, dois homens foram presos em flagrante por maus tratos. Segundo a PF, a ação, desenvolvida no âmbito de inquérito policial instaurado pela Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e Patrimônio Histórico (DELEMAPH), foi acompanhada por analistas ambientais do IBAMA, para verificar informações acerca da morte de três espécimes, de um conjunto original de 18 girafas importadas da África do Sul.

No local, os policiais federais e os analistas ambientais constataram situação de maus-tratos dos animais e, diante disso, dois homens, responsáveis pela manutenção dos animais, foram presos, os animais apreendidos e depositados sob cuidados da entidade. O IBAMA ficará responsável pela supervisão e adotará todas as providências necessárias para salvaguardar a integridade das girafas.

Os presos foram conduzidos à Superintendência da Polícia Federal no Rio, onde foi lavrado termo circunstanciado de ocorrência por maus tratos, crime previsto no Art. 32 da lei de crimes ambientais.

Além deste crime, a investigação, que deu origem ao inquérito policial, prosseguirá com o objetivo de apurar as circunstâncias e a legalidade da importação dos animais, bem como as condições de manutenção e cuidado das girafas.

O Bioparque negou que os animais tenham sofrido mais tratos. Além disso, a administração do zoológico afirmou que a importação dos animais seguiu todos os procedimentos necessários e que foi devidamente aprovada pelos governos do Brasil e da África do Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.