Polícia fecha o cerco contra ‘gatonet’ na Região Oceânica

Ao longo dos últimos meses, a exploração de internet e telefonia clandestina tem se tornado uma das atividades mais lucrativas para o tráfico de drogas na Região Oceânica de Niterói, principalmente no Engenho do Mato. Nesta quinta-feira (24), a Polícia Civil realizou operação a fim de identificar uma empresa, ligada ao crime organizado, que estaria atuando na região.

A ação de fiscalização foi coordenada por policiais civis da 81ª DP (Itaipu) e contou com apoio da Enel, concessionária de energia elétrica. As equipes partiram em direção ao Engenho do Mato por volta das 11h. Também estiveram presentes funcionários de uma empresa credenciada, a Oi, que estaria tendo equipamentos furtados e utilizados pela prestadora clandestina.

No local, em um poste, as equipes flagraram materiais da Oi sendo utilizados pela empresa clandestina. Além disso, a energia elétrica que abastecia os equipamentos era furtada, caracterizando o crime. Os equipamentos foram apreendidos e as provas serão anexadas à investigação que apura a atuação da organização criminosa.

Ação foi feita em conjunto entre Enel e 81ª DP – Fotos: Vítor d’Avila

Após a constatação das irregularidades, a equipe de perícia do Posto Regional de Polícia Técnico-científica (PRPTC) de Niterói foi acionada ao local. Até o começo da tarde desta quinta-feira, policiais civis da 81ª DP tentavam localizar representantes da prestadora clandestina. Contudo, até o fechamento deste texto, ninguém havia sido identificado.

Esta não é a primeira vez que essa empresa suspeita de ligação com o tráfico de drogas é alvo de operação da Polícia Civil. Em 31 de agosto do ano passado, equipes da distrital estiveram no mesmo lugar onde aconteceu a ação de ontem. A delegacia recebeu denúncia de que operadoras credenciadas estavam tendo a rede sabotada e os funcionários e que funcionários estavam sendo abordados e intimidados por criminosos.

Lava-jato é flagrado

Durante a ação, equipes da Polícia Civil e da Enel flagraram um lava-jato furtando energia elétrica. Um homem, que se identificou como responsável pelo estabelecimento, foi conduzido à delegacia e autuado em flagrante por furto de energia.

Histórico de intimidações

No final do ano passado, prestadoras credenciadas denunciaram que seus funcionários estariam sendo alvo de intimidações por parte de bandidos que atuam no “gatonet”. A ordem para cortar os cabos das operadoras de internet e a forte intimidação a técnicos no Engenho do Mato, Região Oceânica de Niterói está partindo de dentro da cadeia, segundo aponta a Polícia Civil.

De acordo com o delegado Fábio Barucke, titular da distrital, quem comanda toda a ação criminosa é o traficante João Carlos Diano Marques, o “João Coroa”, que está preso por tráfico de drogas desde o ano de 2012. De acordo com Barucke, foi feito um novo pedido de prisão contra o acusado. O policial acha que dessa forma, aumentando o tempo de prisão de João Coroa, a polícia acredita que vai reprimir as ações criminosas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.