Polícia estoura fábrica de bebidas falsificadas que eram vendidas em SG

Depois de descobrir que 45 bares em São Gonçalo vendiam bebidas falsificadas, a Polícia Civil foi na quarta-feira (14) atrás das fábricas clandestinas, que abasteciam estes estabelecimentos. Agentes da 72ª DP (Mutuá) prenderam três pessoas na cidade de Americana, no interior de São Paulo, em mais um desdobramento da “Operação Chigago”, contra a produção e a falsificação de uísque e vodka. Os presos foram trazidos para São Gonçalo, onde irão prestar depoimentos. As prisões são temporárias, com duração de cinco dias.

Além dos presos em Americana, os policiais civis estiveram nas cidades de Santa Bárbara d’Oeste e Nova Odessa, ainda em São Paulo, onde foram encontrados equipamentos industriais de produção e envazamento das bebidas. Em Nova Odessa, a Polícia encontrou cerca de 200 mil garrafas.

A operação começou depois que agentes da 72ª DP prenderam o chefe do tráfico de drogas do Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, Marcelo da Silva Leitão, de 27 anos, na cidade de Casimiro de Abreu. A partir da prisão a Polícia conseguiu identificar o esquema de bebidas falsificadas, muitas vezes de rótulos importados, que eram comercializados muito a baixo do valor de mercado.

Dias depois a prisão do traficante, a Polícia Civil prendeu nove pessoas em um depósito no bairro Marambaia, onde foram encontradas mais de mil garrafas de vodka e uísque falsificadas. De acordo com a Polícia, além de São Gonçalo, as bebidas eram comercializadas em outras cidades nas regiões paulistas de Campinas e Piracicaba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 3 =