Polícia e MP realizam operação contra matadores de aluguel

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio (MPRJ) foram para as ruas, nessa terça-feira (30), na Operação Tânatos, contra acusados de chefiar o grupo conhecido como “Escritório do Crime”, com envolvimento nos chamados crimes por encomenda. O grupo é formado por policiais, ex-policiais e milicianos. O grupo faturava, segundo a polícia, entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão pela prática dos crimes.

Quatro mandados de prisão foram expedidos pela Justiça, e pela manhã dois dos alvos foram presos, os irmãos Leandro e Leonardo Gouvêa da Silva, respectivamente conhecidos como Tonhão e Mad. O MPRJ afirma que os denunciados possuíam ligações com Adriano Magalhães da Nóbrega, o Capitão Adriano, morto em confronto com a polícia em fevereiro deste ano, na Bahia. Além dos quatro mandados de prisão, o juiz Bruno Rulière, da 1ª Vara Criminal Especializada do Tribunal de Justiça do RJ (TJ), expediu 20 de busca e apreensão.

Durante as investigações, a polícia apurou que executores da quadrilha praticavam os crimes por encomenda há mais de dez anos, com uso de armas de fogo de grosso calibre Leonardo, o Mad ou Paraíba, foi preso em casa, numa casa luxuosa em Vila Valqueire, Zona Oeste do Rio. Os outros alvos da operação são: Anderson de Souza Oliveira, o Mugão, e João Luiz da Silva, o Gago.

O delegado coordenador da operação, Daniel Rosa, descartou a versão inicial que o grupo teria envolvimento nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motoristas Anderson Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − dezessete =