Polícia desarticula esquemas de extorsão em Niterói

Vítor d’Avila

Um homem e uma mulher foram presos, na quinta-feira (10), em Niterói, por crimes de extorsão e agiotagem. As prisões aconteceram em situações distintas. Ambos tinham mandados de prisão em aberto.

O homem foi preso na Rodovia BR-101, altura do Gradim, em São Gonçalo, quando agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), fizeram a abordagem ao veículo que ele conduzia, modelo Volkswagen Gol de cor branca.

Ao consultar os dados do motorista, de 39 anos, ficou comprovado que ele possuía 15 mandados em aberto contra ele. Entre os crimes estão extorsão, lesão corporal, ameaça e organização criminosa. O acusado foi conduzido para a 76° DP (Niterói).

Segundo a Polícia Civil, ele é acusado de integrar uma das maiores Organizações Criminosas do estado, voltada para a prática de agiotagem e extorsão e foragido há cinco anos.

Os agentes estavam em vigilância velada para verificar informações privilegiadas, produzidas pelo Setor de Inteligência da 76ª DP, cujos dados indicavam o deslocamento do alvo para o local onde buscaria a esposa no trabalho. Ele será encaminhado ao sistema prisional onde permanecerá preso e a disposição da justiça.

Já a mulher, que tem 60 anos foi presa com mandado de prisão por crime de estelionato, em Niterói. De acordo com a Polícia Civil, ela possui mandados de prisão emitidos por várias delegacias. Ela foi localizada em uma casa no bairro da Ilha da Conceição, Zona Central de Niterói.

Segundo os agentes, ela era investigada por crimes cometidos na capital do Rio, Nova Iguaçu e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A Polícia Civil informou que ela possuía 18 mandados de prisão em aberto e era membra de uma organização criminosa.

Policiais civis da 76° DP organizaram uma ação para capturá-la. Segundo a investigação, a atuação dela era voltada para ações de agiotagem e extorsão. A acusada também será transferida ao sistema prisional, onde ficará a disposição da Justiça.

Índices em queda

As prisões de membros de organizações criminosas refletem nos índices da Região Metropolitana. Ocorrências de extorsão apresentam tendência de queda tanto no acumulado do ano quanto em outubro, quando Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou o último levantamento.

Em outubro de 2020, foram 88 registros contra 128 no ano passado, o que representa recuo de 31,3%. No acumulado de janeiro a outubro deste ano, foram 835 casos, ante 1.222 no mesmo período no ano anterior. Isto representa redução de 31,7%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 12 =