Polícia Civil rebate família de entregador preso em Niterói

A Polícia Civil rebateu as acusações sobre ter errado ao prender Danilo Félix Vicente de Oliveira, de 24 anos, pelo crime de roubo a mão armada. Segundo Thiago Dorigo, delegado titular da 76ª DP (Centro), o jovem é conhecido por diversos roubos em Niterói junto com comparsas. A Família declarou mais uma vez que Danilo foi confundido e não praticou o crime no dia 2 de julho, na Rua Visconde do Rio Branco, no Centro. O processo se encontra em poder do Ministério Público.

“O Danilo Félix é conhecido por roubos na área. Ele já foi reconhecido de forma inequívoca por pelo menos quatro vezes ainda no primeiro semestre de 2020. As vítimas não tiveram dúvidas em reconhecer ele em fotos atualizadas. No dia 6 de agosto foi cumprido também contra ele um mandado de prisão preventiva pelo crime de roubo majorado expedido pela 1ª Vara Criminal de Niterói. Existem outros três processos pendentes contra o acusado a serem apreciados pelo poder judiciário por roubos com uso de arma de fogo e participação de parceiros”, afirmou o delegado Thiago Dorigo.

A prisão de Danilo aconteceu por volta das 19h do último dia 6 na Rua Marquês de Caxias, no Centro. O caso foi registrado na 76ª DP (Centro) e atualmente Danilo se encontra na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, no Rio. Responsável pela defesa do acusado, a advogada Cristiane Lemos alertou que as imagens das câmeras da Rua Visconde do Rio Branco não terem sido solicitadas pela polícia e sobre a vítima, um entregador de aplicativo, ter reconhecido outro autor antes de apontar Danilo como culpado.

“O Danilo que tem dread no cabelo. Uma característica bem marcante para um reconhecimento. Na minha petição eu peço as imagens das câmeras presentes no local do crime. Estou realizando o pedido de revogação da prisão preventiva e será feita a defesa prévia que analisa o mérito do processo e são reiterados os pedidos com a junção de mais provas como as imagens e testemunho de pessoas sobre a conduta do Danilo”, declarou a advogada na última quarta-feira (12).

A alegação da defesa sobre Oliveira ter sido preso por agentes à paisana foi confirmada pela Polícia Civil.

“Os policiais que realizaram a prisão estavam em um carro descaracterizado como temos muitos por aqui na delegacia. Ele confirmou a sua identidade e nós o conduzimos aqui para a unidade. As imagens das câmeras do local do crime não foram solicitadas porque a vítima não teve dúvidas sobre a autoria do crime. Desconheço a informação de que outro autor foi reconhecido anteriormente”, disse delegado Tiago Dorigo.

A advogada de Danilo afirmou que tem conhecimento das outras acusações contra seu cliente e que vai provar a inocência dele em todas.

“Sim já sei de todas essas acusações e vamos atuar na defesa do Danilo com o propósito de inocentar ele de todas as acusações”, afirmou.

De acordo com a Polícia Civil, um comparsa de Danilo foi preso no mês passado.

“No dia 20 de julho foi preso Ronald Fonseca de Oliveira, de 19 anos. Preso por roubo majorado. Ele é conhecido por ter atuado junto do Danilo na prática deste tipo de crime”, destacou Dorigo.

Procurado pela reportagem o Ministério Público informou que está apurando as informações sobre o caso e não retornou os contatos. Já a esposa de Danilo voltou a afirmar que o marido é inocente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *