Polícia busca mulher que assaltava junto com o companheiro

Após a prisão de Adriano Py da Silva Cordeiro, o Sapatinho, no último sábado (21), a polícia busca informações que ajudem a capturar sua companheira, Verônica Soares Moreira Silva Campos. Eles são apontados como autores de inúmeros roubos na Região Oceânica de Niterói. Por atuarem juntos, eles receberam o apelido de “Bonnie e Clyde”, em referência ao casal americano que ficou famoso por cometer uma série de crimes na região central dos Estados Unidos, no fim dos anos de 1920.

O Portal de Procurados do Disque Denúncia divulgou, nesta segunda-feira (23), cartaz com a foto de Verônica, que já é considerada foragida da Justiça. A acusada tem quatro anotações criminais, entre elas, roubo e receptação, e também já foi presa em outra ocasião. “A gravidade dos delitos praticados pela dupla e a reincidência em sua prática, demonstra que o casal não se ressocializou após a prisão”, disse a delegada Raissa Celles, titular da 79ª DP (Jurujuba), responsável pela investigação.

Segundo a Polícia Civil, as investigações apontaram que Adriano não agia sozinho, sendo auxiliado por Verônica, sua companheira. A polícia acredita que Adriano já praticou cerca de vinte roubos no município de Niterói e mais outros no Rio de Janeiro, alguns em parceria com a companheira. Informações que ajudem a capturá-la podem ser enviadas ao WhatsApp da distrital, (21) 98596-7266 ou por meio do Disque Denúncia (21) 2253-1177.

Prisão de Adriano

Policiais civis da 79ª DP realizaram a operação “Bonnie e Clyde”, no sábado (21), e prenderam Adriano, um dos principais ladrões que age em Niterói. Ele foi localizado no bairro Monjolos, em São Gonçalo. Contra ele foi cumprido um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça. As vítimas eram, principalmente, mulheres.

Segundo a 79ª DP, o autor já foi preso em flagrante por roubo e possui três passagens pela polícia. A companheira dele, Verônica, está sendo procurada. Ela também já foi presa e possui quatro anotações criminais, sendo três por roubo e uma por receptação. Ainda de acordo com a distrital, imagens de câmeras de segurança, que flagraram os roubos, foram essenciais para a investigação.

Violência

De acordo com os policiais, o homem era extremamente violento. Em um dos assaltos, em posse de uma arma de fogo, o bandido agrediu violentamente a vítima. Ela teve que ser retirada do local em uma ambulância e levada direto a um hospital, onde foi hospitalizada. As investigações indicam que as armas utilizadas para os crimes seriam emprestadas por traficantes de uma das maiores facções criminosas do estado, que atua na comunidade do Anaia, em São Gonçalo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =