Simulação sobre a morte de João Pedro no Salgueiro está adiada

A Defensoria Pública do Rio (DPRJ) informou, na tarde dessa segunda-feira (08), que foi cancelada a reprodução simulada que a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) havia programado para realizar, na manhã dessa terça-feira (09), visando esclarecer detalhes sobre a morte do adolescente João Pedro Mattos, de 14 anos. O jovem morreu, ao ser baleado nas costas durante operação conjunta da Polícia Federal e Civil, no dia 18 do mês passado, na Praia da Luz, Complexo do Salgueiro, São Gonçalo. Ainda não há nova data prevista para a simulação.

Um dos motivos seria a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir operações policiais em comunidades do estado enquanto permanecerem as restrições para prevenção do coronavírus. O delegado Allan Duarte, titular da DHNSG, havia dito que a reprodução simulada seria importante para esclarecer pontos que ainda geram dívidas na investigação sobre a morte do jovem. Por isso, segundo ele seria importante esse trabalho pericial para entender a dinâmica da operação conjunta realizada pelas policias Federal e Civil, que resultou na morte do adolescente.

Na reconstituição que seria feita nessa terça-feira (09), de acordo com o delegado, estava previsto a participação dos agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que estavam presentes na operação do mês passado. Eles já haviam prestado depoimento na sede da especializada.

Outro ponto que a polícia espera esclarecer na simulação seria a presença (ou não) de criminosos durante a operação, onde os agentes sustentam a versão de que perseguiam criminosos, e os mesmos teriam invadido a residência onde João Pedro estava, enquanto familiares do jovem rebatem esse argumento, afirmando que não seria verdade.

Em apuração…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 14 =