Pneus não podem mais ser usados em estacionamentos ao ar livre

Raquel Morais –

Estacionamentos não vão mais poder usar pneus para proteger os veículos. A Lei 7.573/17, do deputado Wanderson Nogueira (Psol), foi publicada no Diário Oficial na semana passada e engloba os estabelecimentos públicos ou privados e ao ar livre. Antes mesmo de virar uma normativa, alguns estacionamentos de Niterói já adotaram a regra, que visa reduzir a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Ambientes fechados não tiveram a proibição citada no projeto.

O funcionário do Estacionamento 84, em São Domingos, Davis Dias, é o responsável pelo espaço e tem a consciência da importância de cuidar para evitar foco do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. “Na parte com telhado temos um pneu para cada vaga. Os motoristas que temem encostar enquanto estão colocando o carro na vaga podem ficar mais tranquilos, que não vai amassar a lateria. Já na parte externa, ao ar livre, retiramos todos os pneus para não acumular água. Temos apenas um pneu em uma vaga específica, mas nós furamos ele, para a água escoar”, explicou.

Segundo nota da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) os pneus deverão ser substituídos por placas de EVA, um material emborrachado, ou qualquer outro que possa servir para a proteção dos parachoques desde que não acumulem água da chuva. O infrator poderá sofrer penalidades como notificação, advertência e multa. “Esse é um projeto de prevenção às doenças que o Aedes transmite. Muitos estacionamentos que são descobertos colocam pneus para proteger o parachoque dos carros, mas não protegem a vida das pessoas. É sabido que o ambiente é propício para o acúmulo de água parada, um habitat perfeito para o mosquito”, explicou o parlamentar.

PNEUS ARRECADADOS
A Prefeitura de Niterói informou em nota que a Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), através de uma parceria com a cooperativa Reciclanip, vem recebendo pneus inservíveis desde 2005 e já deu a correta destinação para cerca de 900 mil pneus. O descarte de pneus em locais inadequados é crime ambiental e o infrator que for flagrado realizando este tipo de ação recebe uma multa de R$ 1.459,34.

NÚMEROS DE DOENÇAS

A Prefeitura de Maricá informou que em abril de 2017 foram registrados dois casos de dengue, dois de chikungunya e nenhum de zika vírus, contra oito, um e 16 dos mesmos casos no mesmo período de 2016. Em Itaboraí no mês passado foram registrados 20 casos de dengue, cinco de chikungunya e nenhum de zika. Já em 2016 a dengue, chikungunya e zika representaram 65, 20 e 533 respectivamente. Já as prefeituras de Niterói e São Gonçalo não se manifestaram sobre a quantidade de registro das doenças em abril desse ano e do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 4 =