PM troca tiros com traficantes no Complexo de Santa Rosa

Augusto Aguiar

Policiais militares do 12º BPM (Niterói), com reforço de veículo blindado, trocaram tiros, nesta última quinta-feira (24) com traficantes de comunidades que integram o chamado Complexo de Santa Rosa, na Zona Sul da cidade. A ação teve como objetivo reprimir a prática de venda de drogas e passar para a população a presença policial nas ruas como forma de garantir de segurança para transeuntes, moradores e comerciantes estabelecidos na região. Ao longo do ano diversas operações semelhantes foram realizadas na área, que resultaram em presos, apreensões e baixas do lado dos criminosos.

Na investida de ontem, os policiais foram recebidos a tiros na chegada à comunidade da Viradouro. Houve revide, mas nenhuma prisão ou apreensão foi realizada. Guarnições, com suporte do Caveirão, percorreram a pé e vasculharam, além da Viradouro, localidades conhecidas como o Beco do 600, no Morro Souza Soares, por exemplo. Alguns motoristas, percebendo a movimentação policial, manobraram e retornaram pela Rua Mário Viana, uma das principais do bairro e de ligação com o Largo da Batalha e Região de Pendotiba.

Operação na Viradouro

Policiais que percorriam a localidade também foram recebidos a tiros quando deixavam o Beco do 600, gerando pânico entre pedestres. A operação desencadeada pelo 12º BPM não interrompeu as aulas nas escolas da região, que mantiveram sua rotina. O trabalho de repressão ao tráfico no Complexo de Santa Rosa ocorreu menos de 24 horas após a PM desencadear uma incursão em outro ponto da cidade, num dos acessos ao Morro do Pimba, na Zona Norte, que resultou em confronto com três mortos e apreensão de armas e drogas.

O comandante do 12º BPM, coronel Márcio Rocha, adiantou que ações do gênero serão implementadas na Zona Sul com mais frequência, com apoio inclusive de outros batalhões da Região Metropolitana, como 7º BPM (São Gonçalo) e 35º BPM (Itaboraí). “O policiamento integrado é muito importante em ações contra o chamado roubo de rua na cidade. Vou utilizar todas as ferramentas que a polícia puder disponibilizar, como rondas feitas por equipes táticas de motociclistas (Batalhão de Choque) e viaturas”, explicou o comandante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *