PM teve mais de 3.200 baixas ao longo dos últimos 23 anos

Foi em tom de lamento que o comandante Geral da PM, coronel Wolney Dias, abriu na manhã de ontem, o Fórum dos Policiais Mortos e Feridos, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap) da PM, no bairro Sulacap. Wolney frisou dados alarmantes de tantas baixas, tendência constatada logo no primeiro mês de 2017, com dads alarmantes de 18 policiais mortos.

Também, segundo levantamento estarrecedor, a Polícia Militar do Rio até o fim de 2016, ao longo de 23 anos, mais de 3.230 baixas e mais de 14.450 feridos, de acordo com dados da Comissão de Análise de Vitimização Policial da PM e idealizador do Fórum dos Policiais Mortos e Feridos.

O números superam levantamentos realizados em vários conflitos mundiais ocorridos no século XX, como baixas de tropas americanas na 1ª Grande Guerra, 2ª Guerra Mundial, e Guerra da Coréia (0,95%), entre outros, incluindo mortes por acidentes, suicídios, tiros, e agressões.
“O número é maior do que as baixas do exército americano na primeira e segunda guerra mundiais. É 765 vezes mais fácil você ser ferido servindo na polícia do rio do que estando em guerras”, disse o coronel Fabio Cajueiro, que era um dos oficiais presentes no encontro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − onze =