PM que matou a esposa deve ser ouvido hoje

O policial militar que atirou contra a esposa e os seus sogros, além de tentar se matar em seguida, na madrugada da última quarta-feira (23), em São Gonçalo, deverá ser ouvido hoje (25) por policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG). A esposa do cabo do 7º Batalhão (São Gonçalo) não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no local dos crimes. Ela foi enterrada na quarta-feira, de acordo com amigas. Já os sogros de Leandro Alves de Siqueira, de 37 anos (que está sob custódia), permaneciam em estado grave, porém estável.

“O crime aconteceu na garagem da casa da sogra do policial. Nós ainda não sabemos o que ele fazia lá. Os sogros estão em estado grave, ele está melhor e deve ser ouvido amanhã (hoje). As imagens das câmeras de segurança da casa da sogra serão analisadas”, informou o delegado titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, Bruno Cleuder de Melo.

Os sobreviventes da tragédia familiar foram encaminhados a hospitais da região onde foram socorridos. O fato aconteceu na Rua Magistrado Francisco Assis Fonseca, no bairro Zé Garoto.

O policial militar e a sogra foram atendidos no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê. Já o sogro do cabo foi atendido no Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no próprio bairro onde os crimes ocorreram. O corpo da esposa do cabo assassinada por ele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó antes de ser enterrado. Ela deixa quatro filhos.

Policiais do 7º BPM (São Gonçalo) estiveram no endereço do colega de batalhão e a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNISG) foi acionada após os crimes. A especializada investiga e a corregedoria da Polícia Militar acompanha o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × cinco =