PM em São Gonçalo investigado por desvio de carga se mata dentro do batalhão

Augusto Aguiar –

Mais uma vez o Batalhão de São Gonçalo (7º BPM) foi o centro das atenções no noticiário policial. Desde as primeiras horas na manhã desta quinta-feira (13), a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), a Corregedoria da Polícia Militar e a Coordenadoria de Inteligência da corporação deflagraram a Operação Purificação. A ação teve por objetivo cumprir 14 Mandados de Prisão e outros 55 de Busca e Apreensão contra 14 policiais militares lotados na unidade, acusados de desvio de mercadorias e peculato, com penas previstas entre 3 e 15 anos de reclusão. De acordo com a Polícia Civil, a principal acusação contra os militares era o desvio de carga roubada e até a tarde o saldo da ação era de 12 policiais presos, um não localizado e outro encontrado morto dentro da unidade. Segundo informações, um sargento teria cometido suicídio dentro do batalhão. Ele foi identificado como Luiz Cláudio de Araújo (um dos investigados). Entre os mandados expedidos havia ordens judiciais contra um oficial, um tenente, seis sargentos, quatro cabos e dois soldados.

De acordo com as investigações, a operação teria tido início em maio desse ano com o roubo de uma carga de cerca de 11 toneladas de carnes e congelados. O material chegou a ser recuperado pelos policiais e depois foi desviado pelos agentes na Comunidade da Lodial, no Boaçu. Em vídeos analisados pela polícia, viaturas da PM foram flagradas entrando vazias na comunidade e saindo carregadas com produtos, avaliados em mais de R$ 129 mil. Também através das imagens de câmeras de segurança, PMs foram gravados desviando a carga de dois caminhões frigoríficos roubados em São Gonçalo.

Também na ocasião, a DHNSG investigava a morte de um policial militar, Eduardo da Conceição Rosa (42º PM morto no estado), quando ao realizar a segurança de uma carga foi morto ao tentar impedir o seu roubo, num ataque na Rodovia Niterói-Manilha (BR-101). A ocorrência foi no dia 3 de maio. Ao cruzarem informações sobre as quadrilhas que agem à margem da rodovia no combate ao roubo de cargas e a morte do policial, os agentes da especializada conseguiram apurar que PMs estariam por trás do desvio de mercadorias. A Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM) descobriu militares do 7º BPM flagraram, por exemplo, criminosos fazendo a descarga de dois caminhões, rendidos uma hora antes na BR-101, na altura de Boaçu. Ao avistarem a viatura chegando, na Rua Bagé (comunidade da Lodial), os ladrões fugiram. Logo a seguir, a carga dos caminhões foi transferida por viaturas e carros particulares. A Polícia Civil então constatou que o grupo havia desviado quase 12 toneladas de carne. Várias remessas foram levadas pelos PMs e apenas uma pequena parte da carga foi apresentada na delegacia como recuperada.

“Temos imagens de viaturas com a caçamba cheia dessas cargas, indo e voltando, em várias viagens. Não medimos esforços para chegarmos a esse resultado. Cruzamos informações também com a quantidade de crimes de roubos de carga e a quantidade mínima que era apresentada como recuperação dessas cargas nas delegacias”, afirmou o delegado Alan Duarte, da DHNSG.

“Estão sendo cumpridos 14 Mandados de Prisão Preventiva. Tivemos o resultado expressivo, graças à ação conjunta das polícias Civil e Militar. Se não houvesse essa atuação conjunta, não conseguiríamos”, afirmou a titular da DHNSG, delegada Bárbara Lomba.

O coronel Márcio Vaz Lima, corregedor da PM, admitiu que a operação que culminou na prisão dos policiais colocou a corporação numa situação difícil. “Estamos diante de uma difícil situação. As prisões podem corroborar com esse tipo de conduta. As polícias Civil e Militar estão unidas para purificar. É difícil. Esses policiais deveriam zelar pela segurança da população. Quero agradecer a DHNSG que convocou a PM para agirmos juntos”, afirmou. Enquanto divulgavam o balanço da Operação Purificação, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, Centro do Rio, representantes das polícias Civil e Militar, e do próprio comandante do 7º BPM, tenente-coronel André Henrique, todos receberam, com tristeza e estarrecimento, a notícia (no início da tarde) de que o sargento Luiz Cláudio de Araújo, um dos investigados, teria cometido suicídio nas dependências do Batalhão de São Gonçalo. Em nota oficial, a PM informou que o sargento que se suicidou tinha 46 anos de idade, 19 anos de serviço na corporação e era solteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *