Planejamento familiar ao alcance de todos

Planejar a chegada dos filhos e prevenir a gravidez indesejada são direitos de todo cidadão, garantidos na rede pública de saúde. Em Macaé, a prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, conta com o Planejamento Familiar nos Núcleos de Atendimento à Mulher e à Criança (Nuamc) da Aroeira e do Visconde.

Nas unidades são realizadas ações educativas e informativas sobre métodos e técnicas contraceptivas. O programa conta com uma equipe multidisciplinar composta por médico ginecologista, assistente social, psicóloga, fisioterapeuta e os cirurgiões ginecológico e urológico.

De acordo com a fisioterapeuta Fernanda Daumas, responsável pelo trabalho educacional, inicialmente é feito o aconselhamento para que mulheres e homens decidam o melhor método. Ela ressalta que entre os métodos oferecidos na rede municipal de saúde estão os anticoncepcionais orais e injetáveis, distribuição de preservativos, dispositivo intrauterino (DIU de cobre), laqueadura das trompas e vasectomia.

Entre os meses de janeiro e julho, o Nuamc Aroeira encaminhou 57 laqueaduras em gestantes, 25 em não gestantes e 28 vasectomias. O procedimento de laqueadura em pacientes gestantes é realizado no momento do parto no Hospital Público Municipal (HPM). As não gestantes são operadas no Hospital São João Batista e as vasectomias são feitas no Hospital da Serra, no Trapiche.

A diretora do Nuamc Aroeira, Georgia Sardinha, explica que o procedimento inicial para inserção no planejamento familiar é ir até a unidade levando carteira de identidade, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência. Inicia-se então o processo para realização do procedimento escolhido pelo usuário. Ela lembra que alguns serviços, como a laqueadura de trompas e a vasectomia, são oferecidos para homens e mulheres com 25 anos ou mais, com dois filhos vivos.

Após a decisão do melhor método, alguns procedimentos como avaliação médica e realização de exames são necessários. No caso da implantação do DIU, antes a mulher faz a coleta de preventivo e, em alguns casos, é solicitada uma ultrassonografia antes e depois para avaliação do dispositivo intrauterino.

Laqueadura
Para a realização da laqueadura de trompas, a Lei 9263/96 exige documento formal (manifestação de vontade), onde constam dados pessoais e dos filhos vivos, e duas testemunhas, tanto para mulheres grávidas como não grávidas. As gestantes que desejam fazer o procedimento devem estar na terceira gestação e ter passado por duas cesáreas. O processo deve ser iniciado num prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico (e/ou provável nascimento).

A cirurgia para realização da vasectomia acontece no Hospital da Serra, no Trapiche. O homem também tem que cumprir todas as exigências determinadas em lei, ter capacidade civil plena e ser maior de 25 anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos. A intervenção é feita com anestesia local e não precisa de internação.

A fisioterapeuta Fernanda Daumas explica que, após efetuar todo trâmite legal, a solicitante ficará em posse do documento para levar ao hospital no dia do parto. “É importante que as mulheres se atentem para o prazo estipulado pela lei entre o pedido e a cirurgia”, disse, lembrando que no caso das gestantes que se enquadrem nos critérios, o início do processo deve ser feito o quanto antes.

A coordenadora do Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PAISM), Alessandra Lofiego, alerta para a importância da orientação na hora da escolha do método. “Seguindo o conceito da integralidade no atendimento, o planejamento familiar é uma das principais ações do PAISM, com todos seus métodos e a possibilidade de livre escolha. É nossa obrigação oferecer nos serviços de saúde, toda informação para propiciar ou evitar uma gravidez não planejada, educação sexual e, principalmente, ações educativas para que as escolhas sejam conscientes”, considerou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *