Pietro Acetta recebe título de Professor Emérito da UFF

Raquel Morais –

Nesta sexta-feira o reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Antônio Cláudio Lucas Nóbrega, entregou o título de Professor Emérito para o Dr. Pietro Acetta. A solenidade contou com a presença de amigos e familiares e aconteceu no Anfiteatro Aloysio de Paula, na Faculdade de Medicina da UFF, dentro do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), no Centro de Niterói.

O professor teve indicação para o título de Emerência pelo ex-diretor da Faculdade de Medicina, José Carlos Trugilho, e o pedido foi aprovado em plenária do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada de setembro de 2017 e aprovado também no Conselho Universitário de 2019. Pietro ressaltou que, apesar de estar aposentado, continua com a alma de cirurgião.

“Receber essa homenagem me deixou muito alegre. Esse reconhecimento pelo meu mérito é extraordinário. Estou em uma idade que percebo que tenho mais passado para contar e muita história. A universidade vive uma crise e está reagindo e produzindo com muita discussão de ideias. Mas acho que está na hora de olhar para dentro da universidade”, contou.

O diretor do Huap, Tarcísio Rivello, também mostrou a felicidade em entregar o título ao colega de profissão. “Essa entrega foi muito merecida e Pietro foi e é muito relevante para o serviço da universidade. Também não podemos deixar de falar dos problemas que o país está passando. Antigamente ser gestor público não era fácil, pois tínhamos uma série de interferências. Hoje as interferências também acontecem dentro e fora do Huap. Às vezes esbarramos também com interferências de gestores municipais, estaduais e federais. Mas conseguimos gerenciar essas crises através de uma equipe coesa”, contou.

O título de Professor Emérito é concedido aos docentes da UFF que se destacaram na comunidade acadêmica. O reitor da UFF também parabenizou Acetta durante a solenidade. “Essa é uma celebração de uma carreira em um ato e uma liturgia institucional que identifica a nossa própria existência. É um prestígio ter mais esse título para a universidade “, pontuou.


ANIVERSÁRIO DA NOVA GESTÃO

O reitor classificou como positivo seu primeiro ano à frente da universidade. “Estamos conseguindo fazer um bom papel. O reitor é um gestor público e tem obrigação de prestar contas. A UFF presta um papel importante no desenvolvimento econômico e social de todo o Rio de Janeiro. Como todo organismo vivo tem transformado a vida das pessoas errando e acertando e mudando a vida das pessoas”, frisou.

“Começamos a administração com um deficit de R$ 16 milhões e recebemos por mês R$ 14 milhões, ou seja, sempre faltando R$ 2 milhões. Para fechar a conta tivemos que fazer economias como cancelar os telefones celulares, ajustar os contratos e trocar o sistema eletrônico, por exemplo. Isso tudo para recuperar crédito das empresas que não queriam mais prestar serviços para a UFF”, lembrou Antônio Cláudio.

60 anos da UFF

No próximo ano, a Universidade Federal Fluminense vai completar seis décadas de fundação. A solenidade de lançamento das comemorações destes 60 anos será realizada no dia 18, às 19h30min, no Cine Arte UFF, com um concerto gratuito da Orquestra Sinfônica Nacional UFF (OSN) – única orquestra profissional pública do país – apresentando árias de óperas de Giuseppe Verdi e Carlos Gomes.

Segundo o reitor, nestes 60 anos de história a UFF se transformou muito, sendo hoje uma universidade referenciada pela excelência em produção de conhecimento e formação de cidadãos por seu alto nível acadêmico, de produção científica, de inovação e por seu impacto social e econômico evidente em todo Estado do Rio. “Somos uma universidade mais diversificada e inclusiva: cerca de dois terços dos estudantes são de família com renda de até um salário mínimo e meio; quase metade dos estudantes se declaram negros e pardos e temos cerca de 400 pessoas com deficiência na instituição”, ressalta.

Com uma comunidade acadêmica formada por mais de 70.000 alunos matriculados, mais de 3.500 professores e em torno de 3.800 técnicos-administrativos, a instituição é reconhecida nacional e internacionalmente, não só pela excelência de seus cursos e de sua produção científica, como pelo impacto social das suas atividades. A missão da UFF é promover, de forma integrada, a produção e difusão do conhecimento científico, tecnológico, artístico e cultural, e a formação de um cidadão imbuído de valores éticos e responsabilidade social que, com competência técnica, contribua para o desenvolvimento autossustentado do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − três =