PF aponta que governo federal teria dado verba pública para sites bolsonaristas

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, retirou nesta quarta-feira (9) o sigilo de novos documentos do inquérito sobre atos antidemocráticos. Segundo a investigação, o governo federal teria passado verbas a portais bolsonaristas com conteúdos voltados para desinformação, discurso de ódio e mensagens contra a democracia

A Polícia Federal afirma que é necessário aprofundar as investigações sobre o direcionamento de recursos da Secretaria de Comunicação Social do governo federal para financiar essas páginas.

Os investigadores querem apurar se o governo criou filtros ou bloqueios que evitassem que a propaganda do governo fosse veiculada e monetizasse canais que difundem ideias contrárias ao estado democrático de direito, permitindo com tal prática que ocorresse o repasse de recursos públicos.

A PF chegou a apontar a suspeita de vínculo entre o blogueiro Allan dos Santos, apoiador do presidente Bolsonaro e dono do canal Terça Livre, e o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fábio Weingarten, com os fatos investigados sobre direcionamento de recursos públicos e a monetização — o pagamento das páginas bolsonaristas para a divulgação de ideias antidemocráticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 1 =