PF afirma que assessores entregaram celulares a Daniel Silveira

Um relatório da Polícia Federal (PF) enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) afirma que câmeras de segurança flagraram dois assessores entregando telefones celulares ao deputado Daniel Silveira (PSL). Os aparelhos foram encontrados na sala onde o deputado estava preso, na Superintendência da PF, no Rio de Janeiro.

A defesa de Silveira afirmou que o relatório da Polícia Federal omite a questão de não ter ocorrido revista pessoal ao deputado no momento da prisão. Na filmagem, na qual aparece um assessor entregando um aparelho telefônico ao parlamentar, a defesa afirma que ele estaria apenas devolvendo o aparelho que havia pegado com Silveira momentos antes para checar os grupos de trabalho.

Novas representações no Conselho de Ética

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados admitiu hoje (2) sete novas representações contra o deputado Daniel Silveira (PSL), seis delas referentes ao vídeo no qual faz ameaças aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e apologia ao Ato Institucional 5 (AI-5). Virtualmente, o deputado participou de uma sessão no Conselho de Ética realizada ontem, onde afirmou sofrer perseguição de “partidos comunistas”.

Em sua fala na sessão, Daniel Silveira disse que nenhum “partido sério” apresentou denúncias contra ele e chamou os processos abertos de “espetaculosos” e que foram impetrados por “partidos comunistas que defendem pautas nefastas”.

“Nós, do conservadorismo, nunca entramos com nenhum processo contra eles. Eles querem pagar de puritanos, mas nos acusam de fascistas e milicianos”, falou Silveira.

A sétima representação instaurada, protocolada pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, é referente a um vídeo publicado por Silveira em uma rede social em maio de 2020. Na publicação, o deputado faz ameaças a manifestantes contrários ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

Segunda-feira (1º), a Procuradoria Geral da República (PGR) enviou um parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) favorável a soltura do deputado Daniel Silveira (PSL), desde que fique submetido a medidas cautelares com o uso de tornozeleira e que ficasse em prisão domiciliar, podendo participar virtualmente das sessões da Câmara dos Deputados. A manifestação da PGR foi uma determinação do ministro Alexandre de Moraes, que apontou ser necessário ouvir o Ministério Público sobre o caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + 19 =