Petrobras mantém funcionários em plataforma infectados por Covid-19

Petroleiros foram abordados na manhã da última terça-feira (6) por diretores do Sindipetro-NF que tentaram convencê-los de não embarcar na plataforma P-54, na Bacia de Campos, onde acontece um surto de Covid-19.

De acordo com o Sindicato, a Petrobras queria embarcar 18 trabalhadores sem a devida desinfecção ser feita no local.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) recomenda que seja feita a retirada de todo o pessoal que está a bordo com suspeita de Covid-19, bem como aqueles que não sejam essenciais ao serviço naquele momento. Foi recomendada, também, a desinfecção caso algum funcionário testasse positivo.

De acordo com o coordenador do Departamento de Saúde do sindicato, Alexandre Vieira, atualmente, dos 31 petroleiros que estão a bordo, 8 testaram positivo. A P-54 teve 22 casos confirmados de Covid-19 nos últimos dias, de trabalhadores que já desembarcaram.

“Ontem nós avisamos à Petrobrás que, se quisessem embarcar alguém, teriam que negociar com o sindicato para mostrar que os trabalhadores não estariam indo apenas para manter a produção, ou a vontade de algum gerente, que estariam indo para fazer alguma atividade essencial para a segurança e a habitabilidade”, explica o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.

COMERCIANTES VOLTAM A PROTESTAR CONTRA LOCKDOWN

Pelo segundo dia seguido os comerciantes, lojistas, empresários dos ramos considerados não essenciais, e os diretores da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), fizeram uma manifestação na cidade, contra o lockdown que foi decretado por mais uma semana.

O grupo protestou na porta da prefeitura e seguiu em passeata pela Avenida Nilo Peçanha em direção a BR-101 onde fecharam a rodovia mais uma vez por cerca de 40 minutos.

Em nota, a Prefeitura de Campos informou que o município passa pelo pior momento no combate à Covid-19. “A ocupação de leitos nas redes SUS e Particular é de 100% e existem 40 pessoas na fila à espera de um leito de Covid. A Prefeitura entende a preocupação dos comerciantes, e informa que a medida é necessária para evitar a circulação de pessoas nas ruas e, desta forma, reduzir a disseminação do vírus e o número alarmante de novos casos e de mortes. Importante ressaltar que os comerciantes podem trabalhar com delivery, o que mantém o fluxo de vendas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − dois =