Pessoas: os nossos ativos mais valiosos

Por: Marília Ortiz

De acordo com dados do IPEA (2018), nos últimos 20 anos, o total de servidores públicos no país cresceu 83%. Estamos falando de mais de 12 milhões de servidores. A cada 100 empregados no país, 12 estão na administração pública. Especificamente nos municípios, estão concentrados 57% desse total, o que corresponde a, aproximadamente, 7 milhões de pessoas.

Há quem ainda acredite que o servidor busca no serviço público apenas “estabilidade” e “vida fácil”. Eu posso dizer com conhecimento de causa, de quem integrou a primeira turma de graduação em Gestão de Políticas Públicas da USP e que está há mais de 15 anos no setor público que, pelo menos, 90% das pessoas com as quais já trabalhei têm espírito público. Carregam em si um forte senso de propósito. São inteligentes e se dedicam a resolver problemas públicos complexos. Essa é a visão do servidor que eu conheço e a realidade em grande parte das organizações públicas que constroem políticas para melhorar a vida das pessoas. Gente que cuida de gente. Mas que, muitas vezes, em função da sobrecarga de trabalho, enorme pressão de controles rígidos mesmo quando se tenta fazer a coisa certa e estrutura precária, acabam adoecendo.

Os setores de recursos humanos no poder público precisam se reinventar para além de cuidar apenas da rotina da folha de pagamento. Já passou da hora de encararmos a gestão de pessoas como algo estratégico nas organizações públicas. Não apenas para cuidarmos do bem-estar e motivação dos servidores, mas também porque fartas pesquisas demonstram que a gestão de pessoas como parte da estratégia da organização leva a melhores resultados.

Diversas organizações da sociedade civil têm se dedicado a incentivar melhores práticas na gestão de pessoas do setor público, como Instituto República, Fundação Lemann, Vetor Brasil e Instituto Humanize. Tais organizações buscam, por exemplo, incentivar o ingresso de jovens talentos formados nas melhores universidades do país a terem uma experiência no setor público; a fortalecer a adoção de processos seletivos para funções estratégicas em cargos de livre provimento; financiar projetos de valorização dos servidores públicos; fortalecer incentivos para gestão orientada a resultados; entre outras ações.

Em Niterói já experimentamos algumas dessas parcerias que geraram referências e ampliaram o repertório de boas práticas adotadas pelos gestores. Entre elas, o Programa de Trainees de Gestão Pública no qual recebemos mais de 4 mil interessados que participaram de um processo seletivo para preenchimento de 10 vagas em diferentes áreas da Prefeitura. Também contamos com o financiamento de um programa de coaching para lideranças, de capacitação baseada em casos práticos para servidores na área de saúde em parceria com a Escola de Governo e Gestão e cursos para os nossos profissionais em universidades internacionais de ponta, como Columbia University (NY) e Hertie School (Berlim).

Os contatos com tais organizações e o desenvolvimento desses projetos foram fundamentais para construir uma gestão de pessoas de vanguarda em Niterói. Especificamente no âmbito da Secretaria de Fazenda, onde contamos com 278 colabores, criamos no início deste ano uma Assessoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional para cuidar de “pessoas, processos e projetos”. Desenvolvemos com a participação da sociedade e dos servidores um Plano Institucional Participativo que definiu o mapa estratégico da organização, elencou 27 metas e priorizou 42 projetos. Para a construção do Plano, em março, fizemos uma pesquisa de clima organizacional na qual descobrimos que 90% dos servidores possuem orgulho do seu trabalho e 80% acredita que exista uma boa cultura de feedback. Por outro lado, mais de 90% acredita ser importante ter mais políticas de reconhecimento, gestão do trabalho em home office e saúde no trabalho.

A partir desse diagnóstico começamos a pensar em formas de atender às expectativas dos servidores. Nesse sentido, uma das entregas importantes da área foi comemorada no último dia 4 de novembro na Câmara de Vereadores de Niterói. Na data foi sancionada a Lei 369/2021 que institui o Dia do Fazendário para reconhecer e valorizar a importância dos nossos servidores para a cidade de Niterói. Na oportunidade, também foram reconhecidos com Moções de Aplausos aqueles que se destacaram nos últimos anos pelas suas relevantes contribuições.

Também apresentamos a todos nesse mesmo dia um amplo Programa de Valorização do Fazendário composto por 4 eixos: 1 – reconhecimento e gestão para resultados; 2 – desenvolvimento de competências; 3 – comunicação e fortalecimento institucional; e 4 – segurança e qualidade de vida. Entre as iniciativas já em curso estão a premiação dos servidores de acordo com a avaliação dos resultados entregues; o estabelecimento de métricas atualizadas de produtividade para os servidores de carreira (auditores fiscais, fiscais de posturas e agentes fazendários); programa de tutoria para lideranças femininas; plano de capacitação para servidores; programa de estágio; projeto de saúde ocupacional; e certificação aos ocupantes de cargo em comissão de acordo com as diretrizes do Plano de Integridade.

Valorizar pessoas e colocá-las no centro da estratégia das organizações é a chave para alcançar os resultados com excelência e eficiência. Concordando com Dan Ariely “Pessoas engajadas resolvem problemas complexos. Engajar pessoas é, portanto, resolver grande parte dos nossos desafios com a sociedade”.

Tudo isso para cuidarmos de pessoas que entregam resultados de enorme relevância para os niteroienses. Para valorizarmos pessoas excelentes no serviço público. Resultados recentes como o 1º lugar em gestão fiscal pela Firjan com destaque para o quesito de “autonomia financeira” que trata da boa capacidade do município de auferir receitas próprias e a avaliação da Central de Atendimento ao Contribuinte com a nota 4,96 de um total de 5 demonstram o compromisso de nossos servidores com a sociedade de Niterói. Ressalto ainda o trabalho de nossos servidores durante o período de enfrentamento da pandemia de Covid-19 para garantir a manutenção de mais de 15 mil postos de trabalho, a concessão de 18 milhões de crédito a juros zero a mais de 400 empresas e o pagamento em dia de todos os auxílios. Pessoas à serviço de pessoas: o propósito que move e orienta o serviço público.

Agradeço a sensibilidade e iniciativa do vereador Andrigo Carvalho e à Câmara Municipal de Niterói por apresentarem a proposição da Lei 396/2021 que institui o Dia do Servidor Fazendário, pelas moções concedida aos servidores e pela honra de ser condecorada pela medalha José Clemente Pereira no último dia 04 de novembro. Agradeço ainda a liderança da Diretora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Secretaria de Fazenda, Priscila Borges, pela elaboração do Programa de Valorização do Fazendário. Uma profissional exemplar que, nos próximos seis meses, gozará do merecido período de licença-maternidade concedido pela Prefeitura de Niterói para se dedicar à missão de gerar e receber com todo carinho e afeto uma nova cidadã chamada Olívia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 3 =