Período chuvoso pode elevar casos de dengue e zika

Com as chuvas fortes que atingiram o estado nos últimos dias, a população deve ficar em alerta para não permitir que a água se acumule em alguns pontos e possa se transformar em criadouro para o mosquito Aedes aegypti. O tempo quente e chuvoso é propício para a proliferação do mosquito, que transmite dengue, zika e chikungunya. Os ovos do Aedes podem se conservar por mais de um ano e, em contato com a água, precisam de menos de uma hora para se transformarem em larvas do mosquito. Por isso, é muito importante, após a chuva, verificar se não existem vasilhas expostas que possam acumular água. As calhas de escoamento e os coletores de águas pluviais também devem estar limpos.

Outras ações que devem ser adotadas são verificar se o lixo foi colocado em sacos plásticos fechados e checar se os pratinhos dos vasos de plantas estão cheios de areia. As ações de combate aos locais que acumulam água parada levam menos de dez minutos e devem ser repetidas semanalmente.

Nas regiões onde aconteceram enchentes, os moradores e os profissionais de saúde devem ter atenção redobrada aos sintomas da leptospirose. Transmitida na grande maioria das vezes pela urina de ratos, a doença costuma ter alta ocorrência quando as pessoas começam a limpar suas casas e têm contato com a água e a lama contaminada. O tratamento precoce é fundamental para evitar os casos mais graves da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 11 =