Peça ‘Filho da Mãe’ no Ginásio Caio Martins

Raquel Morais

A proximidade da inauguração da turnê nacional do show ‘Filho da Mãe’, do comediante niteroiense Paulo Gustavo e sua mãe Déa Lúcia, está provocando o tão falado frio na barriga da dupla. Eles montaram o espetáculo que será apresentado nesse sábado, 6, no Caio Martins, em Icaraí, e vão seguir em turnê até agosto, com o último show em Curitiba.

O show será dividido em vários blocos desde Bossa Nova, Samba, Internacional, Infantil e até mesmo uma batalha entre mãe e filho. A direção musical é assinada por Zé Ricardo e a banda será composta por André Siqueira (percussão), Claudio Costa (guitarra), Marcelo Linhares (baixo), Mauricio Piassarollo (teclado) e Wallace Santos (bateria) e é claro, os vocalistas Paulo e Déa.

O espetáculo também passará por Goiania, Juiz de Fora, Belo Horizonte, Novo Hamburgo, Porto Alegre, Recife, João Pessoa, Vitória, Rio de Janeiro e termina em agosto em Curitiba. Entre os hits Bêbado e equilibrista, Lança Perfume, Xote das Meninas, New york, New york e até Plunkt Plakt Zun.

A musa inspiradora do comediante, que trabalhou por muitos anos como cantora e deixou os palcos no início dos anos 2000, conversou com A TRIBUNA sobre esse momento com o filho.

Depois de anos na plateia e nas coxias, qual é a sensação de estar no palco com seu filho?

Olha, eu estou muito honrada, muito lisonjeada com essa homenagem do meu filho. Por quase trinta anos eu fui crooner de uma banda que se apresentava em festas de casamento, bodas e aniversários. Meus filhos me viram cantar por todos esses anos e têm esse período marcado na memória deles, uma memória afetiva.

Está difícil controlar a ansiedade?

Estar ao lado do Paulo agora é uma alegria imensa. É a celebração de toda uma história, de uma vida. Para mim é um desafio novo, pois nunca fiz show, nunca me apresentei para uma plateia dessa forma. Eu estou super tensa, mas super animada! O Paulo já tem muitos anos de carreira, o que dá a ele uma bagagem dos palcos, do contato com o público e com toda essa dinâmica que envolve os espetáculos e as viagens de turnê. Por conta disso tudo, eu tô muito feliz e confiante de estar ao lado do meu filho nesse novo trabalho.

O que esperar desse show?

Eu acho que o público pode esperar um show muito bonito e muito animado, modéstia à parte. Tudo que o Paulo faz, ele faz com muito esmero. Se dedica de corpo e alma ao trabalho. O repertório foi escolhido a dedo, a direção musical é do craque Zé Ricardo, o cenário do Zé Carratu tá incrível, os músicos que vão tocar com a gente são todos maravilhosos, a luz tá um espetáculo e o figurino tá lindo. Posso dizer que vai ser uma noite muito animada e muito divertida! Além das músicas que vamos cantar, eu e Paulo Gustavo vamos conversar e brincar um pouco um com o outro em alguns momentos do show. Acho que vai ser bem divertido para o público.

Paulo Gustavo também rasgou elogios e retribuiu o carinho da mãe.

Como se sente fazendo um espetáculo dividindo palco com a sua mãe; depois de anos fazendo essa homenagem para ela como é ter ela ao seu lado?

Estou superfeliz de fazer esse show com minha mãe pois eu vi minha mãe cantar a vida toda, para sustentar a gente, e agora estou vendo ela de outro lugar, do palco. Para mim é uma experiência nova fazer esse show, não sou um cara da música embora tenha um ouvido bem refinado para música. Ao longo da história eu acabei escutando muita música boa e eu não parti do zero, e modéstia parte, sou um cara afinado.

Da mais segurança ou dá mais um friozinho na barriga?

Estou feliz de estar no palco com ela, ela canta muito bem e domina muito bem o palco. Eu acabo tendo uma experiência com o palco, pela minha carreira no teatro, então não estou chegando cru. É um show que já tinha algum caminho andado mas a gente está muito feliz de estar se encontrando no palco e brindando esse momento diferente dela e meu.

Abrir essa turnê na cidade de Niterói( sua cidade natal) qual sentimento?

Estou muito feliz de estrear em Niterói pois sou da cidade, morei mais de 30 anos, meus amigos e família são de Niterói. A cidade é pé quente e tem todo um significado estrear em Niterói pois foi onde tudo começou, minha mãe cantava na noite na cidade e nos criou aqui. É especial e está lindo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *