Paulo Gustavo fazia show da Madonna no apartamento em Icaraí

Após a morte do comediante Paulo Gustavo, aos 42 anos, vítima da Covid-19, amigos íntimos do ator lembraram histórias inusitadas que viveram junto com o niteroiense. As memórias dificilmente serão esquecidas e vão desde shows privados dentro do apartamento em que morou na Rua Gavião Peixoto, até as expectativas dele no início da fama.

Paulo Gustavo morou até pouco mais de 20 anos na Rua Gavião Peixoto número 87, em Icaraí, mais especificamente no apartamento 1205. Sua vizinha, a funcionária pública Ana Paula Miranda, morava no 603, mas cresceu junto com o amigo do prédio. “Ele ficava ensaiando as coreografias da Madonna e eu era a plateia dele. A casa dele era muito pequena e ele dançava dentro do quarto e eu assistia, batia palma e cantava junto com ele”, lembrou com saudade.

O ator nunca escondeu o medo que tinha de espíritos e a amiga Ana Paula também frisou, que quando eram adolescentes, ele ficava na portaria do prédio por medo de assombração. “‘Dona Zezé’, que morava no apartamento em cima do dele, morreu e ele ficava com medo do espírito dela. A gente ficava na portaria esperando a Dona Dea chegar das apresentações que ela fazia a noite”, lembrou.

Paulo Gustavo estudou no Salesianos e também no Centro Moderno de Ensino, que ficava na Rua Mem de Sá, ambos em Icaraí. “Quando ele ficou adulto ele se mudou para Itaipu, na Região Oceânica e depois voltou para Icaraí. Quando foi ficando famoso, ele se mudou para o Rio de Janeiro. Mesmo com todo o sucesso, ele continuou sendo o Paulo Gustavo que conheci e continuamos muito amigos. É uma perda. Uma grande perda. Perdi um amigo. Estava combinando com a Dea de ir na casa dele conhecer os filhos dele e infelizmente não foi possível esse encontro”, lamentou emocionada Ana Paula.

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói em 30 de outubro de 1978. Filho de Júlio Márcio Monteiro de Barros e Déa Lúcia Vieira Amaral, se formou na Casa das Artes de Laranjeiras (Cal) no ano de 2005. Mesmo com longa trajetória nos palcos foi interpretando a Dona Hermínia, em uma forma de homenagear a mãe, que Paulo Gustavo alcançou o estrelato. A peça de teatro ganhou as telonas do cinema e virou uma trilogia. O Minha Mãe é Uma Peça 3 foi recorde de bilheteria de filmes nacionais.
A produção do comediante Paulo Gustavo confirmou que o corpo do ator será cremado amanhã, quinta-feira (6) em uma cerimônia restrita a familiares e amigos próximos. A nota ainda frisou que o local não será divulgado para não ter aglomeração.

AMIGOS LAMENTAM

O ator Márcio Kieling mostrou muita emoção na sua postagem nas redes sociais. “Me faltam palavras nesse momento de profunda tristeza. Qualquer coisa que eu escreva aqui, não terá o tamanho de sua grandeza, generosidade e genialidade! Só tenho a agradecer a Deus por ter tido a oportunidade de conviver com você e chamá-lo de amigo. Obrigado por ser esse cara único”, dizia parte do texto. Colega de profissão o ator Werner Schünemann também fez uma lembrança ao amigo na internet através de um vídeo do próprio Paulo Gustavo.

A Prefeitura de Niterói decretou luto de três dias e pede que hoje, dia 5, uma corrente de energia seja emanada às 20h com um minuto de aplausos em forma de homenagem.

Paulo Gustavo foi internado no dia 13 de março na UTI do Hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, com Covid-19 e faleceu ontem, dia 4 de maio, às 21h12min por complicações da doença. E estava internado em estado grave, passou por diversos procedimentos, mas não resistiu à gravidade da contaminação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + dezoito =