Patrulhamento mais ágil e perto da população

Wellington Serrano

De sorriso largo e conhecido pelo jeito estrategista, o comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Marcio Oliveira Rocha, de 50 anos, gosta das redes sociais, por onde avisa que vai apertar a vida dos criminosos. Apesar de ter assumido há três meses o posto, a expectativa dele é de virar o jogo da sensação de insegurança ainda no primeiro trimestre. Com o resultado positivo, indicado pela redução dos roubos de veículos, conquistado neste tempo em que está à frente do batalhão, o coronel disse que mesmo com a crise vai trabalhar com o que tem para garantir a segurança dos cidadãos de Niterói e Maricá. “Preciso fazer melhor com o que tenho. Estou sempre preocupado com isso todo dia”.

Nascido no Centro do Rio e criado no Andaraí, Zona Norte da capital fluminense, o coronel avisa para a bandidagem de que vai aplicar em Niterói um verdadeiro choque de repressão neste mês de março, quando fecha o sistema de metas da Secretaria de Estado de Segurança Pública. “Já estive conversando com a minha equipe de planejamento e vamos focar nos dados indicativos de estratégia de segurança do Instituto de Segurança Pública (ISP)”, revelou.

comandante Márcio Rocha

Rocha, que assumiu o comando num momento difícil, recordou que, devido ao período de troca orçamentária e fiscal, ficou até sem receber as verbas de custeio. “E isso dificultou um pouco, mas encaminhamos alguns processos de pedidos de adiantamento financeiro para podermos dar conta de algumas viaturas baixadas e estamos conseguindo fazer isso”, ressaltou o comandante.

Ele disse que neste momento de crise está tendo apoio da sociedade civil organizada, das associações de moradores e das prefeituras de Niterói e de Maricá. “Os executivos têm ajudado muito o 12º BPM nas suas necessidades e de forma que estamos caminhando bem, apesar de toda dificuldade. Temos as parcerias e a ajuda de todos e da própria Polícia Militar, que tem nos atendido com o socorro financeiro. Prova disso foi que acabamos de receber a verba de custeio e estamos colocando as contas em dia”, afirmou Rocha.

O comandante disse que faz uma parceria boa com a Prefeitura de Niterói. Ele mantém uma rotina de contatos com o prefeito Rodrigo Neves (PV) e diz que o chefe do executivo é gente boa. “Ele pagou gratificação a 2,8 mil policiais militares, civis e bombeiros, tem sido um grande parceiro. O aumento do efetivo e investimentos, com essa crise, está difícil”, falou.

Além do contato direto com a população, o oficial garante que vai manter a maneira de trabalhar com a presença da polícia atuando com o foco na sensação de segurança.

PROJETO PILOTO
O Jornal de Icaraí e A TRIBUNA apresentaram ao comandante do 12º BPM um projeto piloto que vai levar mais agilidade às ocorrências de Icaraí. Trata-se de um policiamento de proximidade através de motos em locais estratégicos da Zona Sul para melhorar o empenho. Segundo o comandante, a proposta é muito boa em termos de economia e poderá ser implementada em outros bairros. “Os policiais que farão o patrulhamento da orla marítima da cidade terão mais mobilidade. As motos fazem uma grande diferença”, adiantou o oficial que pede o apoio da sociedade na manutenção das viaturas que está com o contrato de manutenção terceirizado parado.

VOLTA ÀS AULAS NA CANTAREIRA
O dia 23 marca o início do ano letivo para os estudantes da Universidade Federal Fluminense (UFF). Com isso, o comandante disse que vai reforçar a presença da polícia na Praça da Cantareira e no seu entorno para garantir a segurança na volta às aulas. “Já temos uma presença constante no local, mas vamos conversar com a Secretaria de Ordem Pública para que nós possamos, neste início do ano letivo da UFF, incrementar a presença do poder público no local”, garantiu.

WHATSAPP PATRULHA
De olho nas redes sociais e participante de mais de 20 grupos, o coronel disse que acompanha todos os alertas pela internet e aposta nesta nova ferramenta como forma de dar respostas e orientações à população do trabalho da corporação. Rocha revelou o novo número de WhatsApp, o 9725-20213, que ganhou da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e que irá atender 24 horas as denúncias e informações.

GUARDA ARMADA
Sobre o plebiscito que vai discutir o assunto em Niterói e a legislação que permite armar a guarda, o oficial disse que é favorável. Segundo Rocha, os municípios que puderem atender os requisitos legais desta legislação, após o período de capacitação, preparo e treinamento, serão muito bem-vindos. “É a velha lógica né: o que não é contra nós é a nosso favor. Acho que se as guardas municipais puderem atender a esse requisito no que diz aos pequenos delitos nos crimes de rua, acho isso positivo”, acrescentou.

BATALHÃO EM MARICÁ
Rocha disse que discute isso com as prefeituras de Niterói e Maricá e com o comando Geral da Polícia Militar e vê que a tendência é que Maricá tenha uma unidade administrativa própria da PM. “É de interesse de todos. Falta só definir com Wolney Dias o modelo, se vem na forma de um batalhão ou de uma companhia independente. Vai depender deste estudo estratégico. As regiões são bastante diferenciadas e acho que Maricá merece sim essa unidade administrativa com vida própria”, afirmou.

CICLOPATRULHA NO CENTRO
Depois do sucesso da ciclopatrulha na Região Oceânica, onde o 12º BPM mantém três duplas armadas de bicicletas, o comandante revela que dentro do seu plano de comando pretende estender o serviço em Niterói ainda este ano, a começar pelo Centro. “Até porque o chamamento é muito forte por causa do aumento de ciclovias na cidade. Por isso é importante que a gente venha com este tipo de policiamento dedicado e espero, com a parceria da sociedade civil organizada e do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTUr), desenvolver este serviço”, destacou o oficial.

COMPANHIAS DESTACADAS
O comandante esperar implantar ainda mais esse ano as Companhias Destacadas em Niterói. Segundo Rocha, as comunidades merecem dispor da Polícia Militar de uma forma mais presente. “Vamos criar novas unidades e retomar esse tipo de policiamento no Caramujo, nos morros do Estado e Cavalão”, informou.

PROEIS
Devido a alguns atrasos de pagamentos gerados pela crise econômica, o comandante disse que houve uma desmotivação das 150 vagas em Niterói do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), mas que isso trabalha para reverter a situação. “Vamos melhorar o projeto e incentivar para uma adesão maior e atingir o nosso objetivo. Vamos fazer uma campanha junto a prefeitura e a corporação”, realçou.

ÔNIBUS INTERESTADUAIS
Coronel Rocha anunciou também que, em parceria com o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), através do coronel Fernando Salema, vai aumentar o policiamento ostensivo de Trânsito Rodoviário no Estado do Rio de Janeiro, nas rodovias sob a jurisdição da DER-RJ com destino em Niterói. Segundo o comandante, algumas prisões já foram feitas em pontos estratégicos das rodovias, com o objetivo de prevenir, fiscalizar e reprimir atos relacionados com a segurança de trânsito. Ele se refere aos recorrentes ataques a ônibus que seguem para Maricá e São Gonçalo e que deixam passageiros alarmados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *