Patrícia Tavares: Os recônditos do seu ser, os mistérios de cada um

Existe no recôndito de cada ser um lugar em que é possível guardar sentimentos, vivências e, por vezes, acreditar que serão esquecidas, apagadas…partes imersas em grande desconhecimento. Vivências submersas no inconsciente esperando o desvendar, o reconhecimento, o encontro…

Reconhecer que a mente inconsciente é um armazenamento infinito possibilita entender que cada um guarda em si muitas coisas desconhecidas de si próprio. Conteúdos recalcados, sentimentos que não foram bem vividos, experiências que não se consegue dar conta, emoções confusas… Tudo isso foi armazenado e, muitas vezes, não se tem a devida proporção de tantos registros que parecem apagados, ou não lembrados, mas que estão em algum lugar do inconsciente…

Um lugar em que se pode colocar qualquer coisa, pode-se até conscientemente esquecer, mas tudo está lá, mesmo aquilo que você parece não saber…

Um armazenamento profundo, um esconderijo que parece “perfeito”, um lugar que parece feito para deixar tudo aquilo que não é preciso lembrar, ou que é doído lembrar, ou que é muito bom, mas se precisa ou se quer esquecer…

Porém nenhum lugar é um esconderijo perfeito, o inconsciente, muitas vezes, sem lhe avisar, causa surpresas desconcertantes e traz à tona aquele sentimento que parecia esquecido, adormecido, aquela dor que parecia ter se apagado, e não surge aos poucos. Quando o inconsciente traz à tona, revela, vem com uma força abrupta, e de uma forma intensa e completamente impulsiva, mesmo que se tente controlar…

Cada ser humano tem seus mistérios, suas reservas. Cada pessoa é um universo cheio de surpresas inusitadas.

Esconder de si mesmo uma dor, um conflito ou sentimento forte de afeto é uma tática consciente, que pode ser, por algum tempo, eficiente, mas em algum momento, mesmo que demore, venha a explodir tudo para fora de você, como uma bomba. E isso não será bem pior?

Não é possível controlar quase nada, menos ainda quando se trata de coisas que são sentidas de forma importante, algo que o comova profundamente e, se não entende, se está  difícil, não oculte de si mesmo, converse sobre o que não consegue lidar, ou dar conta, converse com alguém que confie, busque um psicólogo.

O melhor é conseguir vir a compreender, elucidar tudo, ver melhor, talvez sobre um novo ângulo, sobre um outro ponto de vista. A vida é um desvendar cotidiano de si mesmo, dos outros, de tudo.

Nem sempre é possível encontrar respostas tão simples ou tão claras, mas é possível aproximar-se mais de você, das coisas que sente, sejam elas quais forem, é possível aproximar-se de seus medos, das suas dores, de suas vivências mais profundas, das experiências mais complexas e não fugir, ficar com você. E conseguir devagar ir compreendendo melhor as situações, ir dissolvendo sentimentos que lhe fazem mal e poder ver de uma outra forma tudo que sentiu, tudo que viveu até este momento, elucidar-se pela  expansão da consciência, sair do lugar de “pesar”. Construir novas possibilidades em cima de qualquer experiência, isso se faz com o amor colocado na prática da sua vida.

É possível se olhar de uma forma maior, mais ampla e se ver de verdade, ver todas as partes, conseguir ficar cara a cara com você, perceber-se integralmente. É possível aproximar-se do seu núcleo mais profundo de amor, de afeto e senti-los apesar de todas as perdas, de todos os caminhos tortuosos e difíceis e dar novos sentidos a sua existência.

Todo mistério pode ter uma oportunidade de entendimento e compreensão acerca de tudo.

Tudo que encobre, revela-te…

Oculto, impresso, revela-se…

Tudo que é vivido, de alguma forma, é registrado. Na mente, não existe possibilidade de apagar nada, mas é possível ter uma nova forma de ver, de lidar e isso modifica totalmente a intensidade de tal registro, de tal memória, de tal emoção, muda toda a condução que você deu ao que sentiu e reorganiza melhor tudo… Em um trabalho terapêutico, por exemplo, é possível, com muito cuidado e afeto acessar as informações, a memória, os conteúdos e, pouco a pouco, ir harmonizando seu ser e suas expressões interiores.

É seguro ser você mesmo. É seguro confiar no seu processo de cura interior, de descobertas profundas, é seguro caminhar para um momento de mais paz, mais compreensão consigo mesmo, maior apoio a tudo que viveu e vive…

Quando buscamos verdadeiramente uma compreensão maior de nós mesmos, tudo fica mais fácil, as informações vão chegando e aprendemos a nos apoiar, a ficar do nosso lado, independente de tudo.

Ser real não é ser perfeito.

Quem busca perfeição, não consegue enxergar a realidade.

Eu me apoio independente de tudo e de todos.

Apoie-se sem condições.

E todos os mistérios vão sendo revelados pouco a pouco. Neste novo cenário, não é mais necessário esconder ou fugir das suas mais profundas emoções. Você tem novas possibilidades de perceber de forma mais abrangente seu ser e o mundo. A partir desse momento, você  encontra-se mais preparado para lidar com seus sentimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =