PATRÍCIA TAVARES: BENDITO SEJA O QUE VEM EM NOME DO AMOR! (PARTE II)

Preste atenção quando existem muitas coisas turvas que se dizem amor… Tenha cuidado com pessoas que não investem em mudanças e só responsabilizam os outros por suas dificuldades e problemas, preste muita atenção em pessoas ingratas que não reconhecem ou não valorizam quem as deu as mãos em momentos difíceis. Se essas pessoas não amadurecerem, não evoluírem, serão sempre pessoas mimadas, pessoas que não saberão amar, e ainda vão responsabilizar o outro por sua incompetência no amor. O amor tem suas dificuldades também, não é só paraíso, mas está longe de ser uma avalanche de coisas ruins, de desastres construídos por pura covardia de quem pensa estar no mundo a passeio, e que entende que é a pessoa mais importante do que qualquer outra.

Siga a sua intuição, dê ouvidos ao seu termômetro interior, o nosso “Eu” profundo nunca nos engana. Está sempre lá a postos para quem não quer “tapar o sol com a peneira”, claro! “Bendito seja o que vem em nome do Senhor” Ao mesmo tempo, retire da sua vida, deixe ir embora tudo e “todos” que não vieram em nome do “Senhor”. Porque amor é para ser bênção, para ser doçura, para ser evolução, e não para levar você para um abismo! Preste muita atenção ! Tem gente que contribui e acrescenta muito: isso combina com grandes sentimentos, e outras pessoas que lhe retiram muito, retiram-lhe a paz e quem retira a paz não veio em nome do amor, não tem amor, ou precisa se curar antes de chamar de amor o que só causa sofrimento e dor. Avalie, não se iluda, não tenha receio nenhum de retirar da sua vida tudo que não combine com amor, assim tal qual as pessoas que não sabem amar, não conhecem o amor. Amor combina com luz, com farol, com irradiar os melhores sentimentos e emoções, o amor combina com realizações e alegrias, combina com pactos de ternura, com sensibilidade de compreender as necessidades do outro, da mesma forma que você deseja que o outro compreenda as suas.

Combina com transparência, com ter cuidado com tudo aquilo que alguém lhe confiou, combina com ter cuidado com a vida do outro, como confia que o outro terá cuidado com a sua… Muitas coisas no amor se aprendem em conjunto, mas o que não vale, de jeito nenhum, é trapacear. Trapaça pode ser qualquer coisa, menos amor. Não romantize o que não é nem de longe amor, não romantize tudo que lhe causa imensa dor, tudo que lhe confunde e oprime!

Não romantize sofrimento acreditando ser amor. O amor é alguma alegria gostosa, em meio a esse mundo tão desproporcional e avassalador, amor pausa de coisas insuportáveis da vida, de um mundo que só suga; o amor devolve boas emoções, não as retira! O amor traz mais amor para a vida, traz alegrias descomprometidas, traz caminhos que se unem nas mesmas direções. O amor traz o encontro do olhar, o reconhecimento, traz novas possibilidades mais harmoniosas para viver, para “ser”. Traz carinho gratuito, aconchego e respeito integral aos nossos direitos e aos direitos do outro. Saiba reconhecer o que “veio em nome do amor”! Saiba reconhecer o que “não veio em nome do amor”! E livre-se de grandes males na sua vida que dizem ser amor… O amor próprio é o único de que não podemos abrir mão em tempo algum. Bendito seja o amor! Bendito seja o que veio em nome do amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 2 =