Pastor evangélico é assassinado durante assalto em São Gonçalo

A comunidade evangélica de São Gonçalo está de luto, desde a noite de terça-feira (15), quando o pastor Nelsinei Badini Alvim, de 47 anos, foi morto a tiros durante um assalto ocorrido, no bairro do Coelho. Muito conhecido entre evangélicos, o “pastor Ney”, como era conhecido, presidia a Igreja Evangélica Águas do Trono, no bairro Boaçu. Um dos criminosos foi preso em flagrante e outro conseguiu fugir. O crime ocorreu por volta das 22h30m, quando a vitima seguia com familiares para sua residência.

A PM informou que uma guarnição estava realizando um registro de outra ocorrência na 74ª DP (Alcântara), quando foram alertados por vítimas que dois bandidos estavam praticando assaltos nas imediações do bairro Raul Veiga. Ao realizarem o patrulhamento no bairro para localizarem os criminosos, a PM avistou dois bandidos roubando um veículo, modelo Logan, de cor bege, na Oswaldo Aranha. Os policiais puderam perceber, antes de tentarem uma abordagem, que as vítimas mesmo descendo do carro e entregando o veículo aos bandidos, assim mesmo um deles efetuou um tiro que atingiu o condutor do carro (o pastor Nelsinei), que já estava do lado de fora do auto.

A vítima caiu e de imediato os dois bandidos se dividiram na fuga. Um deles, Wanderson Leonardo Pires Machado, de 18 anos, assumiu a direção do carro e o comparsa pulou o muro de uma residência. Os policiais saíram em perseguição aos marginais. O que roubou o veículo, perdeu o controle do carro e colidiu com outro carro, que estava parado na calçada. Ele ainda tentou escapar a pé, sendo alcançado, dominado e preso na Rua Lúcio Mendonça. Pouco antes, tentou se desfazer da arma usada no crime, jogando-a no mato, mas o revólver foi encontrado. Wanderson foi conduzido para sede da Delegacia de Homicídio de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG), onde permaneceu preso. Atingido por um tiro na axila, o pastor ainda chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, mas infelizmente não resistiu ao ferimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *