Pastor Alexandre Oberlaender recebe homenagem na Câmara Municipal

Inspiração diretamente dos céus para fazer o bem, por meio da missão religiosa. Assim é a vida do piloto de aeronaves e pastor Alexandre Oberlaender, de 62 anos. Niteroiense, ele já esteve em diversas partes do mundo realizando trabalhos humanitários e, em sua cidade, não é diferente. Por isso, ele recebeu, ontem, a Medalha Zilda Arns, concedida pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Milton Cal (PP).

“A história da família começa com o médico Dr. Américo Oberlaender e tivemos como prefeito meu tio, Dalmo Oberlaender. Eu tenho uma carreira profissional como piloto de aeronaves e tive uma experiência muito grande com Deus. Conheci Jesus porque ele me escolheu, deixei minha profissão de aviador para servir ao reino de Deus. Fui o primeiro missionário brasileiro na América do Norte”, explicou Oberlaender, ao recordar que o avô batiza uma rua no bairro de Santa Rosa, na Zona Sul.

Oberlaender é presidente do Ministério Vida Plena, ligado à Igreja Metodista. Ele conta que o trabalho humanitário que desempenha na cidade é uma forma de retribuir o acolhimento que sua família, de origem judaica-alemã, recebeu.

“Dentro da área humanitária, entendo que tenho que servir muito a Niterói, que foi a cidade que acolheu a nossa família. Trago médicos para fazer cirurgias aqui, cuidar de crianças queimadas. Temos uma gama de projetos sociais, realizados através do Ministério Vida Plena, que nasceu na Igreja Metodista mas tem sua administração completamente independente”, prosseguiu.

Por fim, ao receber a medalha, o líder religioso recorda a responsabilidade em levar adiante a reputação de uma família que tanta tradição possui na sociedade niteroiense. Ele reafirma seu compromisso em ajudar aqueles os mais necessitados, especialmente no que diz respeito à área médica. Oberlaender também deixa um recado a essas pessoas: para que continuam tendo fé.

“É uma responsabilidade. Dr. Américo Oberlaender não foi só mais um médico. A história dele é muito bonita e na família todos são profissionais de renome. Tenho a obrigação de fazer da minha cidade um lugar melhor, para que a sociedade possa receber algo mais importante do que aquilo que já foi feito. Aprendo com o necessitado. Que qualquer pessoa que esteja precisando de alguma coisa sirva ao reino de Deus”, concluiu.

Ao conceder a homenagem, Milton Cal fez um agradecimento ao pastor. O presidente da Câmara frisa que Oberlaender, ao realizar o trabalho humanitário, oferece aquilo que possui de melhor.

“Cada ser humano é como se fosse o fruto de uma árvore. A própria vontade dele de ajudar ao próximo vale-se de tudo. Foi uma encomenda que a gente deu a ele com muito carinho. Só tenho a agradecê-lo e dizer a ele que as portas estão abertas. Meu pai me ensinou uma coisa na vida: sempre olhai aos outros da maneira a trazer dela o que há de mais importante.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =