Passarelas das rodovias locais apresentam riscos aos pedestres

Raquel Morais –

Distância entre as passarelas, estruturas danificadas, insegurança. Esses são apenas três motivos que levam muitos pedestres da Rodovia Amaral Peixoto, nos trecho das RJs104 e 106, a utilizar a própria via em vez das passarelas. A falta de manutenção desses elevados deixa a desejar e não atrai os pedestres como deveria. Ferragens quebradas, pintura descascada e até propagandas coladas, que dificultam a visibilidade, são alguns problemas desses espaços, que deveriam proteger os pedestres.

Nas passarelas localizadas nos bairros do Rio do Ouro (Engenho do Roçado), Arsenal, Santa Bárbara e Tribobó, em São Gonçalo, os problemas são praticamente os mesmos. Ferragens quebradas deixam os pedestres inseguros na hora de atravessar, sem contar partes cortantes que podem machucar e provocar doenças, tamanha quantidade de ferrugem. Até mesmo fiação elétrica é amarrada na estrutura, que em dia de chuva pode ocasionar descarga elétrica.

Além de todos os problemas, as pichações também incomodam quem utiliza as passagens. São frases com conteúdo agressivo ou apenas desenhos, mas que degradam as passarelas. “Tenho medo desses lugares serem mal frequentados. Imagina estar no meio da travessia e encontrar alguém de má índole? Posso até ser jogada lá de cima. Até alguém chegar para ajudar”, comentou uma pedestre que não quis se identificar.

O Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER/RJ) informou que está no momento com equipes concentradas na liberação das estradas atingidas pelas chuvas, incluindo a Região Serrana, onde algumas localidades ficaram isoladas. O órgão vem monitorando as condições das passarelas e irá mobilizar um efetivo para atuar na conservação das estruturas dentro de trinta dias.

Na BR-101, altura do bairro Boa Vista, parte da passarela que desmoronou após um temporal continua aguardando reparo. O incidente aconteceu no dia 27 de janeiro e o local permanece isolado, com uma escada ‘extra’, adaptada, para facilitar o acesso de pedestres. Em fevereiro, a Autopista Fluminense, concessionária responsável pela via, informou que o projeto de conserto estava em fase de contratação. Na tarde de ontem, informou que está em vias de contratar a empresa que reformará a passarela e que na segunda quinzena de junho o acesso dos pedestres deverá estar restabelecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *