Parque Orla Piratininga (POP) vai homenagear Alfredo Sirkis

O Parque Orla Piratininga (POP), lançado em novembro de 2019, vai ganhar o nome Parque Alfredo Sirkis. É uma homenagem ao ambientalista, morto em um acidente de trânsito no último dia 10 de julho. Na semana passada o local recebeu representantes da Prefeitura para conversarem sobre onde será o canteiro de obras para a realização da primeira parte da obra. Essa primeira intervenção vai tratar sobre todas as questões da área verde, como os jardins e a recomposição da vegetação nativa. Parte desse projeto, o túnel do Tibau (que liga a Praia de Piratininga e a Lagoa) também está em estado avançado de recuperação já que hoje será publicada a homologação do contrato da empresa ganhadora para execução do desmonte rochoso.

O Administrador Regional da Região Oceânica, Rubens Branquinho, contou que a primeira parte das obras do POP já foi licitada e a visita técnica na semana passada tratou justamente esses detalhes.

“Precisamos pensar onde ficará o canteiro de obras e também as primeiras medidas de intervenções da área verde. Ainda esse ano vai começar essa obra e o término previsto para 2021. A segunda parte está urbanização, as quadras e os decks, por exemplo. Será uma transformação total da cidade e vamos recuperar um atrativo natural de extrema potencialidade e que hoje está degradado”, contou.

Outra novidade a cerca do POP é a nome que ele ganhará. A informação foi confirmada pelo administrador e pelo ex-secretário de Planejamento de Niterói, Axel Grael, engajado nas questões ambientais, que categorizou a homenagem como justa.

“Sempre admirei muito o Alfredo Sirkis, por sua capacidade de interpretar cenários, suas análises políticas. Escrevia muito bem, tinha muita facilidade em registrar momentos e foi responsável por livros muito bons sobre políticas ambientais. A homenagem no Parque Orla de Piratininga é muito justa. Ele contribuiu muito em Niterói, cidade onde sempre teve expressiva votação. Na última vez que conversamos, ele disse que viria para Niterói conversar sobre projetos para nossa cidade e eu disse que o levaria lá para conhecer o projeto do parque orla”, frisou.

O ambientalista Alex Figueiredo, coordenador do Parque Municipal de Niterói (Parnit), também comemorou a novidade.

“Todo aquele que luta em prol do meio ambiente, se possível for, deve ter uma homenagem. Principalmente algo novo que está sendo criado já que a prerrogativa da questão ambiental é inovação. Ele foi uma pessoa importante na história da militância política ambiental brasileira. Acho hiper legítimo a homenagem. Eu sou contra mudar o nome de algo para história recente pois a história tem que ser preservada, mas criar algo dando nome acho fundamental e salutar”, pontuou.

O projeto Parque Orla Piratininga (POP) foi apresentado em novembro de 2019 e faz parte do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável), financiado pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina – Cooperação Andina de Fomento (CAF). Ao todo serão implantados 10 quilômetros de sistema cicloviário ao longo de toda a orla da Lagoa, quatro píeres de contemplação e seis píeres de pesca. Além disso o projeto contempla também três mirantes e 17 áreas de lazer com quadra de esporte, além de brinquedos e academia de ginástica. Também terá a recomposição vegetal da orla em mais de 150 mil metros quadrados. Também terá quadra poliesportiva e um campo de futebol, parque infantil, área de ginástica, mirante com vista para a lagoa, pontos de contemplação e áreas para piquenique.

TÚNEL DO TIBAU

A recuperação do Túnel do Tibau e a renovação da água da lagoa também é parte de todas as mudanças projetadas para o espaço. O gestor do Sistema Lagunar da Prefeitura de Niterói, Luciano Paez, contou que hoje a prefeitura vai publicar em Diário Oficial a homologação do contrato da empresa ganhadora para execução do desmonte de rochas para desobstrução do Túnel do Tibau. Ele ainda frisou que o objetivo é reestabelecer o fluxo hídrico entre a Lagoa de Piratininga e o mar, no âmbito do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável).

“Tão logo a homologação é realizada, e assinatura do contrato, as obras se iniciam”, contou.

Branquinho também reforçou essa medida.

“Será de extrema importância e está dentro desse conjunto da revitalização. Retirando esses sedimentos vamos ajudar na renovação da água e consequente retomada da pesca na região. Vai ficar tudo lindo e um espetáculo. Vai atrair visitantes e será uma mudança maravilhosa”, resumiu o administrador.

A obra ficará a cargo da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão (Seplag) e a Prefeitura de Niterói vai custear o projeto que ficou orçado em R$ 1,3 milhão e terá duração de seis meses. No início de 2019 parte do túnel desmoronou e os sedimentos impedem a renovação da água, o que afeta dezenas de pescadores que usam a pesca como sustento. A obra do túnel foi feita pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e entregue em 2007 e cerca de 70 famílias vivem da pesca na localidade e a qualidade da água é fundamental para essa prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *