Parecer sobre defesa de Flordelis deve sair em até 15 dias

O deputado Paulo Bengtson (PTB-PA) voltou a afirmar ontem (16) sobre o parecer relativo a defesa por escrito de Flordelis deve ser entregue em até 15 dias, um prazo breve se comparado ao padrão de até 45 dias. Bengtson, corregedor responsável pelo caso, informou que o documento entregue ontem à Corregedoria da Câmara dos Deputados, através do advogado Rafael Oliveira que possuía uma procuração,possui sete páginas e tem anexado a defesa da deputada entregue ao Ministério Público do Rio de Janeiro. O parecer da Corregedoria seguirá posteriormente para à Mesa Diretora e depois para o Conselho de Ética. As atividades do colegiado estão paradas desde o início da pandemia e não tem ainda previsão de retorno.

Flordelis responde a acusação de quebra de decoro parlamentar e pode perder o seu mandado, além de ser apontada pela Polícia Civil e Ministério Público do Rio de Janeiro como a mandante do assassinato do seu marido Anderson do Carmo em junho de 2019.

Paulo Bengtson disse que serão analisadas possíveis diferenças entre acusação e defesa, se há defesa para todas as acusações feitas pelo MPRJ. Ainda de acordo com o deputado, a leitura da acusação já foi feita e um resumo está pronto sobre esta parte. Agora o parlamentar afirma que ele e sua equipe estudarão a defesa para  ser emitido o parecer.

A deputada Flordelis havia recebido no último dia 9 o prazo de cinco dias úteis para apresentar a sua defesa por escrito a Corregedoria da Câmara dos Deputados. Foi somente na terceira tentativa de aviso sobre o processo que Flordelis foi encontrada. O corregedor da Casa, o deputado Paulo Bengtson, junto de assessores entregou o documento a Flordelis no apartamento funcional da acusada. Flordelis foi escutada por aproximadamente duas horas pelo deputado.

A deputada deveria ter comparecido à sala da Corregedoria na Câmara, porém não foi. Flordelis afirmou que recebeu o parlamentar em casa porque estava trabalhando e disse que participaria da sessão plenária do dia. Flordelis disse ter pressa em provar sua inocência e que não teria motivos para temer ou fugir. Foi realizada uma audiência preliminar com Flordelis à pedido da mesma. A reunião, porém não faz parte da defesa da deputada. Flordelis perde o seu mandato somente se, após o Conselho de Ética, a maioria absoluta do Plenário da Câmara decidir que a deputada cometeu quebra de decoro parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 3 =