Pará-Rio: A ‘ponte aérea do crime organizado’

Nas últimas semanas, tornou-se comum a polícia divulgar que bandidos envolvidos em crimes na Região Metropolitana do Rio de Janeiro são do Estado do Pará. Há registros no assalto ao Village Mall, no Sábado; numa prisão em flagrante, na Zona Norte de Niterói; assim como na operação realizada em maio na Vila Cruzeiro, que terminou com 23 pessoas mortas.

As investigações já estabeleceram o elo entre esses suspeitos e o movimento de migração deles para o Rio de Janeiro: a facção criminosa Comando Vermelho (CV), que controla a maior parte do tráfico de drogas no estado e possui ramificação no Pará. Recentemente, o cientista político Marco San, da UERJ, atribuiu esse fenômeno a um possível efeito colateral da decisão do STF, que restringe operações policiais em comunidades do Rio a fim de reduzir a letalidade policial.

Na última semana, a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) identificou que um dos doze suspeitos de assaltar o Village Mall é Rodolfo Nascimento Silva, conhecido como Mão. Ele é apontado como integrante da cúpula do Comando Vermelho do Pará. Ele está foragido. O crime terminou, no último sábado, com a morte do segurança patrimonial Jorge Luiz Antunes, de 49 anos.

Em Niterói

A “invasão paraense” também atingiu a cidade de Niterói. Na última quarta-feira (29), uma ação conjunta entre a 78ª DP (Fonseca) e o 12º BPM (Niterói) terminou com a prisão em flagrante de mais um suspeito de tráfico de drogas que teria migrado do Pará ao Rio. Matheus Brilhante Nonato é apontado pela investigação como um dos seguranças do Comando Vermelho.

Ele foi preso na comunidade da Vila Ipiranga, no Fonseca, Zona Norte de Niterói. Com o acusado, foram encontradas uma pistola calibre 9mm com numeração raspada, 15 munições e um radiotransmissor. Ainda de acordo com a distrital, ele confessou, em depoimento, pertencer à facção criminosa e ter migrado para o Rio de Janeiro junto com outros criminosos paraenses.

Vila Cruzeiro e Salgueiro

Questionado sobre essa situação após a operação realizada enm maio, na Vila Cruzeiro, o secretário de Estado de Polícia Militar, coronel Luiz Henrique, admitiu que o Comando Vermelho (CV) tem abrigado bandidos de outros estados no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Entre os mortos na Vila Cruzeiro estavam suspeitos de tráfico que teriam vindo de outros estados, como o Pará, para o Rio de Janeiro.

“A operação vinha sendo trabalhada há algumas semanas pelo setor de inteligência das forças. Nessa madrugada identificamos uma grande movimentação de elementos nessa região. Eles são de uma facção que controla essa localidade e outras, como o Salgueiro, em São Gonçalo. Por conta dessa movimentação, foi desencadeada essa ação. provavelmente, eles tentariam invadir alguma comunidade”, afirmou.

Efeito colateral

Para Marco San, esta onda de migração pode ser um efeito colateral da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 635, na qual o Supremo Tribunal Federal (STF) impôs limitações às forças de segurança para realização de operações em comunidades, com objetivo de frear a letalidade policial.

“O que pudemos perceber foi que, depois da decisão aprovada do STF de bloquear as ações das polícias nas comunidades, sem entrar no mérito da decisão, vimos que isso estimulou e muito essa migração de traficantes para o Rio de Janeiro”, disse San.

A reportagem não conseguiu localizar as defesas dos suspeitos citados na matéria. Caso queiram se manifestar, o espaço permanece aberto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.