Painel – Trabalhadores poderão sacar até R$ 1 mil de contas do FGTS

Até 15 de dezembro, cada trabalhador poderá sacar até R$ 1 mil de suas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A medida beneficiará 42 milhões de pessoas e deverá injetar R$ 30 bilhões na economia caso todos os trabalhadores retirem o dinheiro.
A autorização para a nova rodada de saques do FGTS consta de medida provisória assinada há pouco pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, o saque tem como objetivo diminuir o comprometimento de renda e o endividamento das famílias por causa da crise sanitária provocada pela covid-19.
Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o calendário de saques começa em 20 de abril e vai até 15 de junho. O dinheiro ficará disponível até 15 de dezembro, quando voltará para a conta vinculada do FGTS.
Pedro Guimarães também informou que o pagamento ocorrerá por meio do aplicativo Caixa Tem, usado para o pagamento de benefícios sociais e trabalhistas nos últimos anos. O dinheiro será depositado numa conta poupança digital, podendo ser transferido posteriormente para uma conta-corrente por meio do celular.
O Ministério do Trabalho e Previdência informa que as demais possibilidades legais de movimentação dos recursos do FGTS continuam válidas. O fundo pode ser sacado nos seguintes casos: despedida sem justa causa, extinção da empresa, aposentadoria, falecimento do trabalhador, pagamento de prestações do financiamento habitacional concedido pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) a pessoas com idade igual ou superior a setenta anos, além de doenças graves definidas em lei.

ADESÃO DE DEPUTADO PODE INDICAR RUMOS NOVOS AO PSB

Numa nota com pesadas críticas ao bolsonarismo, o deputado e ex-Secretário de Educação, Waldeck Carneiro, petista há mais de 20 anos, decidiu abandonar o partido de Lula e anunciar o seu ingresso no Partido Socialista. Ele integrou o governo de Rodrigo Neves, hoje candidato a governador, pelo PDT, apoiando a candidatura de Ciro Gomes, ex-Ministro de Lula, – hoje seu adversário.
Enquanto o PT estuda a possibilidade de ter André Ceciliano como candidato a governador ou a Senador, o PSB tem posicionados como seus candidatos a estes cargos, os deputados Marcelo Freixo e Alexandre Molon, ambos aparecendo nas atuais pesquisas em segundo lugar nos pleitos para os quais estão na liderança o governador Cláudio Castro (PL), e o atual Senador Romário Alves.
O PSB ainda está no aguardo de que até o dia 23 deste mês, Alckmin conforme a aceitação da sua filiação a este partido para ser candidato a vice de Lula. Mas ele afirmou que a oficialização da chapa só acontecerá no dia 9 de abril.

Quadro difícil

Há quem assegure que, até o final do mês, Lula possa demonstrar não querer perder a eleição para governador do RJ e nem diminuir as chances de ter forte bancada na Câmara Federal.
Isto ele deixou claro quando, em Maricá, sugeriu ao ex-prefeito e dirigente do PT, para deixar de lado o sonho e se empenhar na sua eleição para deputado federal, pois é sua meta ter forte bancada na Câmara Federal, seja como Presidente ou na oposição.
Já há algum tempo tem sido considerada a possibilidade da “cristianização” de Freixo e aproveitamento da expectativa de ser o deputado federal mais votado pelo RJ, fortalecendo a legenda que, com ele, poderia eleger mais dois deputados petistas.

Onde está o medo

Líder pessoalmente nas pesquisas, Lula passou a ficar mais preocupado com o anúncio feito pelo PL, apontando ter disparado na Câmara Federal, passando a contar com mais de 62 cadeiras, superando a atual bancada de 53 petistas e poucas perspectivas de ganhos no troca-troca partidário que se encerra no final do mês petista.
Ao remover o atual candidato a governador, ele teria dificuldades para apontar um nome expressivo para agradar o PT, PSB, PC do B e Partido Verde, num momento em que as pesquisas apontam o favoritismo do candidato do PL, o atual governador.

Mudança de jogo

Como em política tudo é possível até o apito final, não pode ser descartada a hipótese de Molon substituir Marcelo Freixo, como também é possível uma virada com Lula aceitando um novo posicionamento com Rodrigo Neves, ou ainda, aceitar dois palanques no RJ, ao apostar que Ciro não estará no segundo turno.

PREDIÇÃO

Pelo menos duas vezes o deputado Waldeck Carneiro contestou notícias publicadas pela “A Tribuna” dando conta do seu ingresso no PSB.
A mentira morre. A verdade perdura. Isto está na história deste jornal.

LITERATURA POLÍTICA


O lançamento do livro ‘Golpe Derrotado’, de autoria de PH de Noronha, na noite de ontem (17) , na livraria Travessa, no Shopping Leblon, contou com a presença rotativa de mais de mil pessoas, com número semelhante de exemplares vendidos.
A capa da obra traz a figura de Rodrigo Neves, personagem central da narrativa, cujo enredo fala sobre “a verdade sobre a conspiração para ‘destruí-lo’ e capturar a prefeitura de Niterói”.
O caso é visto por muitos juristas como lawfare, que é o uso do direito como arma.
Os adquirentes formaram filas para receber o autógrafo de Rodrigo. Entre os presentes, diversas autoridades e personalidades do meio político, como o prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio; o ex-deputado Miro Teixeira, os deputados federais Chico D’Ângelo, Jandira Feghali, David Miranda e Alessandro Molon; os deputados estaduais Waldeck, Luiz Paulo Corrêa da Rocha e Martha Rocha; o prefeito de Niterói, Axel Grael, e seu vice, Paulo Bagueira; os vereadores Gallo, Beto da Pipa, Casota, Andrigo, Binho Guimarães e Atratino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.