PAINEL: RJ RECEBEU MAIS DOSES, MAS VACINAÇÃO É LENTA

Após São Paulo e Minas Gerais, o Estado do Rio foi a terceira unidade da federação a receber mais vacinas, mas está inferiorizado no placar de resultados colhidos com a vacinação.

São Paulo recebeu, até domingo, 46 milhões de doses e apontou ter aplicado a primeira dose em 72% da sua população, situando-se no segundo lugar na escala de alcance de imunização total, alcançando mais de 1/3 da sua população.

O Estado do Rio recebeu 20 milhões de doses, tendo aplicado a primeira dose em 56% do público-alvo e apenas 26% com a imunização total.

Minas Gerais, segundo maior beneficiário com doses (21,2 milhões) entregues pelo Ministério da Saúde, também vem tendo um desempenho frágil.

Índice de Consumo das Famílias cresce 2,1% em agosto

O indicador Intenção de Consumo das Famílias (ICF), divulgado ontem pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), registrou alta pelo terceiro mês consecutivo, crescendo 2,1% em agosto e totalizando 70,2 pontos. O resultado é o melhor desde abril deste ano (70,7 pontos) e superior em 6,1% ao registrado no mesmo mês de 2020 (66,2 pontos).

A economista Catarina Carneiro da Silva, responsável pelo ICF, destacou, no entanto, que o índice se mantém abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015, quando ficou em 102,9 pontos.

Segundo Catarina, como a perspectiva de consumo foi o item que mais cresceu em agosto (5,6%), as famílias parecem acreditar que as condições vão continuar melhorando. “A tendência é que continue aumentando o indicador, tanto que a perspectiva de consumo atingiu o maior nível desde maio de 2020 [70,7 pontos]. Está com uma recuperação bem forte e as famílias estão otimistas em relação aos próximos meses”, disse a economista.

O nível de consumo atual, com 55,2 pontos — maior patamar desde março de 2021 (56 pontos) – cresceu 3,7% em agosto, o terceiro aumento consecutivo e o mais intenso do período. Na comparação com o mesmo mês de 2020, a variação foi positiva em 12,2%.

A renda atual cresceu 1,8% em agosto, e a maior parte das famílias (41,5%) já está considerando sua renda igual à do ano passado. “Isso não acontecia desde junho de 2020. As famílias estavam considerando sua renda pior. Agora, pelo menos, estão considerando no mesmo nível. Já houve uma melhora”, afirmou. O indicador de renda atingiu 77,7 pontos, o maior nível desde março deste ano (79,3 pontos).

Os mais produtivos

Apenas cinco estados conseguiram superar a marca de aplicação da primeira dose em mais de 60% da população local: São Paulo (72%) Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. O Estado do Rio alcançou 56%, estando na 16ª posição.

O Mato Groso do Sul (41%) registra o maior êxito na meta de imunização total (duas doses), seguido de São Paulo, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Santa Catarina, este com 27% contra 25,7% RJ

Trágica comparação

Mesmo sendo um dos municípios mais eficientes na campanha de vacinação, Niterói amarga a condição de ter o terceiro maior em número de óbitos no Estado, embora seja a quinta cidade mais populosa.

Também é espantosa a situação da capital do Estado do Rio, com 31.450 óbitos, quando São Paulo, com o dobro da população urbana, registrou 37 mil.

Guerra solitária

A fortaleza onde atua o ministro Alexandre de Moraes parece inexpugnável.

Mas houve quem ousasse dizer que “para fechar o STF bastava um cabo e um sargento”.

Algo parecido aconteceu na noite de 31 de março de 1964, quando um coronel, a pé, tomou o mosquetão do sentinela e se gloriou de ter “tomado o Forte Copacabana”.

Na tentativa de derrubar o ministro Moraes, o capitão Jair Bolsonaro não desperdiçou uma só bala. Ele próprio e isoladamente subscreveu a ação pelo impeachment e encarregou um funcionário de atravessar a rua para protocolizar o seu requerimento.

Mas choveu bala.

Foram balas de mel com que os demais ministros cobriram a toga de Alexandre.

Foi um massacre contra um adversário solitário. Dez partidos correram em defesa do ameaçado e até mesmo o presidente do Senado colocou-se na trincheira em defesa do STF.

Cruzeiros salgados

Com menos partidas do Rio de Janeiro e ainda sem previsão de roteiros para Buenos Aires e Montevidéu, a MSC vai operar com cinco navios na costa brasileira.

A maioria será com viagens curtas, de três ou quatro dias, privilegiando Búzios, ilhas Grande e Bela e embarques em Santos e Rio de Janeiro.

Mas os preços estão salgados, passando os R$ 4,3 mil (três noites) e R$6.077 (quatro noites).

A MSC está com promoção oferecendo gratuidade para o segundo passageiro nas viagens a partir de setembro do próximo ano. A atração vale para quem fizer a contratação até a próxima terça-feira, dia 31.

Contraste urbano social

Esta coluna registrou a arrogância de agente municipal para coibir rápida parada para distribuir de quentinhas, na rua larga e noturnamente deserta defronte à Praça JK.

Mas também constatou a passagem de motos do trânsito indiferentes aos cinco caminhões estacionados na Rua Hernani de Mello, próximo a um supermercado.

A via é a única ligação do centro no rumo do Ingá e os caminhões bloqueiam até a parada de ônibus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + dezenove =