Painel: Reclamações contra instituições financeiras disparam na pandemia

Levantamento do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) em dois canais que atendem consumidores – consumidor.gov.br e Banco Central – revelou uma explosão de reclamações sobre os serviços financeiros. O registro das queixas contra os bancos, financeiras ou administradoras de cartão teve aumento de 69% e 72%, respectivamente, em cada uma das plataformas.

“Os abusos praticados durante a pandemia demonstram o desrespeito ao consumidor, principalmente no contexto da crise sanitária e econômica sem precedentes que nos assola. A população sofre com a crise, com a diminuição de renda e com o isolamento social. Nesse momento, torna-se mais necessária a atuação de instituições financeiras responsáveis”, avaliou a economista e coordenadora do programa de Serviços Financeiros do Idec, Ione Amorim.

No total, o consumidor.gov.br teve 320.887 reclamações em 2020 ante 189.849 em 2019. As cinco reclamações mais frequentes dessas instituições (124.457) respondem por 38% do total em 2020. Mais de um terço do total dos registros em 2020 correspondem a operações com crédito consignado (88.246 registros), incluindo cobrança por serviço não contratado nem solicitado, não entrega de contrato, cobrança de tarifas não previstas, cobrança abusiva para alterar ou cancelar o contrato, entre outras, enquanto em 2019 esse número era de 39.012.

Chamem o Noel: ele construiu 21 casas ao custo de US$ 0,80 o m²

Se o Luciano Huck se considera presidenciável porque o seu programa de TV, periodicamente emociona ao entregar uma casa reformada e mobiliário, um Noel, que não seja o Papai de roupa vermelha.

Falamos de um cidadão de 77 anos que cumpriu honrosamente mandatos de prefeito em Resende em 1976 e 1988, tendo se elegido deputado por cinco mandatos.

Sua fantástica biografia aponta o recorde nacional de construir 21 mil casas populares com o assombroso custo de US$ 0,80  (R$ 4,70) por m².  Traduzindo: uma casa de 50 m² saiu a R$ 235. Isto mesmo: sem os três zeros finais. Abaixo do valor mensal de um aluguel.

Construiu hospital, central de ambulâncias, 16 postos de saúde, implantou um polo automotivo (milhares de empregos), ativou a agropecuária estimulado pela dedicação do seu pai, Augusto de Carvalho, que também foi prefeito e presidiu a Cia. Hidrelétrica do Vale do Paraíba (Chevap). Deputado, por cinco mandatos, militou no PMDB, PDT e PSDB. Está licenciado desde o dia 5 de abril por ter contraído Covid-19.

Balança política

Um valor político como o citado não foi correspondido por mais de 200 mil obtidos pelo ex-vereador niteroiense e atual deputado federal Carlos Jordy, ou os mais do 104 mil do deputado Alexandre Knoploch, ambos do PSL de Niterói e consagrados no Estado.

Crime e castigo

Adepto da filosofia “Bandido bom é bandido morto”, Wilson Witzel pretendeu ser o “herói” na luta contra a bandidagem ordenando que a polícia deveria, quando apontasse a arma, atirar para matar.

Quando um bandido jovem foi cercado dentro de um ônibus, fazendo reféns, ao sair foi morto.

Mostrando eficiência e autoridade, o governador logo chegou à Ponte. Saiu com os braços abertos e festejando o êxito mortal.

Ainda no início do governo ele e seus assessores foram afastados acusados de desvios de centenas de milhões de reais, dinheiro público destinado ao tratamento das vítimas da pandemia.

Polícia e miséria

Governo de direita não prepara a polícia para obter êxitos com boas ações de inteligência e de respeito à vida.

Também não quer saber se os miseráveis, os desempregados, estão no desespero para comprar pão, como o episódio narrado há mais de 159 anos por Victor Hugo no livro “Os Miseráveis”. É o drama de JeanValjean perseguido tenazmente pelo inspetor Javert e condenado a cinco anos de trabalhos forçados.

O Estado francês gastou muito no caso do furto de um pão para saciar a fome de uma família.

Não matou. Também não planejou como tirar tanta gente da miséria, primeiro passo no desvio da desigualdade humana.

É muito pouco

O recebimento de um milhão de doses da vacina da Pfizer é muito pouco parta tanto estardalhaço da sua chegada a São Paulo e depois ao Rio.

No ritmo atual dos trabalhos, se aplicadas simultaneamente as duas doses, o estoque acaba em apenas um dia.

O ministro da Saúde promete: em maio teremos 34,5 milhões, pouco além do resultado até agora acumulado no Programa Nacional de Vacinação.

Otimista, ele garante que o fim do ano teremos um total de 598 mil vacinas recebidas.

Nesta previsão, após o recebimento das remessas teremos de prosseguir a vacinação após janeiro.

Gol de prefeitos

Aqueles manifestantes contrários ao isolamento e que ameaçaram lançar ovos sobre o prefeito Axel Grael ainda não avaliaram o êxito das medidas restritivas durante a semana de feriados em março.

Mesmo com pequenas concessões, prefeitos como Axel Grael estão colhendo os louros pela resistência aos castigos sofridos e pelo esforço da sociedade participante do isolamento.

Eram necessários 14 dias para a avaliação dos efeitos e que o assistimos foi uma queda de registro de casos e de mortes.

Viva a vida. A saúde vale mais que os resultados positivos ou negativos da atividade econômica.

Niterói, por exemplo, está com o indicador 9, a um ponto e meio dos 10,5 (faixa laranja) da fase anterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + oito =