Painel: PL e PP não bastam para sustentar eleição nacional

Mesmo estando proibidas as coligações para eleições proporcionais (parlamentares) o presidente Jair Bolsonaro terá de se valer do leque do “Centrão” para formar expressivas chapas personalizadas de cada partido comprometido com a sua campanha. Isto não impede que seu projeto tenha a marca de uma coligação com um nome genérico, “Avante Brasil”, por exemplo. Mas cada partido terá de somar votos obtidos pelos seus filiados, sem a mistura ocorrida com alianças antigos entre dois ou mais partidos.

O risco de extinção de partidos que não atingirem as metas fixas pela cláusula de barreira, poderá levar muitos partidos bolsonaristas de fraco desempenho no pleito passado a se submeterem a mudanças em seus quadros quando da abertura de janela para mudança parid´ria, sem perda de mandato.

PL e PP tendem a se inflar de fiéis bolsonaristas como também poderão perder filiados já decididos não apoiarem a candidatura oficial.

Ministro diz que preço do petróleo ainda vai subir mais

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse ontem que o preço do petróleo deve subir mais com a chegada do inverno no Hemisfério Norte e o consequente aumento do consumo. Em audiência pública das comissões de Infraestrutura e temporária para discutir as causas da crise energética do Senado, ele justificou a alta de preços dos combustíveis em 2021. “Por que houve aumento? Principalmente pela alta do petróleo, 60% só em 2021, e com tendência, com a chegada do inverno no Hemisfério Norte, de subir um pouco mais”, declarou Albuquerque.

Aos senadores, Albuquerque destacou que, embora a produção de petróleo no Brasil tenha aumentado em 2021, no restante do mundo, ela diminuiu, o que teria gerado uma crise de oferta e demanda. Ao citar o preço do barril de petróleo, outro fator destacado pelo ministro para a alta da gasolina e do diesel foi a desvalorização do real em comparação ao dólar. “O preço saiu de US$ 66, em janeiro de 2020, e o valor subiu, hoje está em US$ 84. E se formos ver a desvalorização cambial, o dólar saiu de R$ 4 em janeiro de 2020 e hoje está em R$ 5,55. Isso tudo leva a aumento nos preços dos combustíveis”.

Albuquerque defendeu a atual política de preços e negou interferência do governo federal neste setor da Petrobras. Ele lembrou que, sendo uma empresa pública de economia mista, a estatal não pode sofrer interferência do governo na fixação dos preços dos combustíveis.

Sem dar detalhes da proposta nem de quando será oficialmente apresentada, Bento Albuquerque, adiantou aos senadores que o governo estuda criar um “colchão tributário” e uma reserva estabilizadora de preços para conter a alta nos preços. Uma proposta nos mesmos moldes já havia sido sugerida pelo Fórum de Governadores ao ministro da Economia, Paulo Guedes.

Onde está a força

Embora não conte com expressiva bancada na Câmara Federal, o Partido Liberal controla duas das três cadeiras destinadas ao Estado do Rio no Senado Federal. A primeira, ocupada por Carlos Portinho, na qualidade de suplente do senador evangélico e empresário de comunicação, Arolde de Oliveira. A segunda com a adesão do senador Romário Alves, abandonando o Podemos e anunciando sua pretensão de conquistar mais oito anos de mandato no próximo pleito.

É a sua atual cadeira que estará em jogo no pleito de outubro de 2022. Tanto Carlos Portinho como Flávio Bolsonaro têm mandatos a cumprir até 2026.

Ainda em Brasília, o Estado do Rio conta com quatro dos 36 deputados do PL, sendo dois deles do município de Itaboraí: Altineu Côrtes, presidente estadual da agremiação; e Soraya Santos, líder da bancada formada por mais dois fluminenses, Gerson Azevedo e Luiz Alberto Coorea.

Eu tenho o Poder

Este pode ser o “slogan” do Partido Liberal. Afinal, exerce o governo conquistado no Estado do Rio pelo ex-Juiz Wilson Wityzel (PSC) e agora orgulha-se de ter o presidente da República como seu mais importante filiado.

É verdade que lhe falta completar o tabuleiro com peças como as de vice-presidente da República, vice-governador ou de presidente do Senado Federal.

Base insegura

Mas quando desce a escada do poder o PL encontra pouco espaço para sustentar a sua imagem.

No pleito passado, o antigo Partido da República conseguiu eleger nove dos 92 prefeitos. A mudança de nome foi adotada em 2019, para não confundir como o Partido Republicano.

Para a Câmara Municipal da antiga capital fluminense, o PL só conseguiu eleger um dos 21 vereadores locais. Foi o veterano Beto da Pipa, com 3.552 votos.

O PP, conhecido como Progressista, também terá dificuldades para se firmar como expressiva legenda partidária. Perdeu parte dos prefeitos eleitos no RJ e ficou sem uma das suas maiores expressões, Simão Sessim, de Nilópolis. Tem como seus destaques no RJ, Jair Bittencourt, Cristino Áureo , Dionísio Lins e Domingos Brazão.

27

Rédea segura

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi disse ter garantido a fidelidade partidária na questão da votação da PEC dos Precatórios.

Dos 21 deputados, assegurou que 20 decidiram acatar a orientação partidária, ficando de fora apenas um que é militar, e já está de malas prontas para deixar o partido brizolista.

A disciplina partidária foi exigida ao se constatar que a aprovação do projeto governista só alcançou êxito com quatro votos necessários ao “quorum” mínimo. Os votos dos pedetistas deram a tranquilidade ao governo

Indiferença cultural

Nem a Fundação de Artes de Niterói (FAN) e nem o Departamento de Proteção do Acervo Cultural e de Niterói se manifestaram sobre as seguidas denúncias de desaparecimento de placas, bustos e monumentos da cidade. O silêncio é pleno, atestando omissão funcional e desrespeito à opinião pública.

A imprensa pode, por exemplo, ajudar na busca histórica de conteúdo caso haja empenho em restabelecer a história.

Aqui, por exemplo, está todo o conteúdo – inclusive uma efígie de César Tinoco – da placa inaugurativa da remodelação, com mudança do nome da antiga “29 de outubro” pelo simbolismo de antigo morador que foi Prefeito de Campos e fundador do Liceu de Humanidades Nilo Peçanha.

O antigo mestre e politico nasceu a 2 de dezembro de 1844 e faleceu em 10 de junho de 1960.

Nilo Peçanha também era campista, foi governador e presidente da República interino, tendo residido na Praia de Icaraí.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =