Painel: Obras abrem horizontes para o emprego em Niterói

O anúncio de um Plano Estratégico, revelando obras a serem iniciadas pelo Município e pela iniciativa privada, como decorrência de suas ações estruturais, levou o Prefeito Axel Grael a considerar que Niterói, tendo se destacado no combate à Covid-19, está avançando com passos firmes na guerra contra o desemprego e pela geração de renda.

Contando com a previsão de uma arrecadação de R$ 4,2 bilhões no próximo exercício, ele tem como aliados no seu otimismo a ampliação da receita de royalties para R$ 1,6 bilhões e o desenvolvimento do setor imobiliário que já lançou projetos para erguer 10 grandes condomínios residenciais, além da operação de dois novos supermercados, um deles inaugurado neste início de outubro.
Sem a pressão para realizar programas de obras eleitorais – como vem fazendo o Estado – o governo de Axel Grael está dando ênfase a programas sociais, desde e a expansão da moeda social Arariboia até a criação do segundo restaurante popular idealizado pelo município.

A efetivação da dragagem do Canal de São Lourenço é uma antiga meta, em fase de viabilização, para gerar a expansão das atividades nas áreas da indústria naval e da pesca, com reflexos positivos em vários setores.
O mais importante é que a Prefeitura colocou à disposição programas como o Colab para permitir à população analisar os programas de ação anunciados e oferecer sugestões de outras medidas ou correção de rumos.

Mais parcerias

Em troca da cessão da sua parte na propriedade do Cinema Icaraí, a UFF está sendo beneficiada com a obra e R$ 38 milhões da Prefeitura de Niterói para construção do conjunto de imóveis do ”Campus do Gragoatá”, onde vai funcionar o Instituto de Arte e de Comunicação Social (IACS).
Livre de dois ônus, a UFF deveria abrir mão de imóvel burocrático no Barreto, e cedê-lo, numa parceria com as Prefeituras de Niterói e de São Gonçalo para fazer voltar a operar o que foi o “Restaurante do SAPS”, no Barreto, limite entre as duas cidades que somam 1,5 milhão de habitantes.
Da mesma forma, as duas Prefeituras deveriam se integrar em ações, juntos à Águas de Niterói e a substituta da Cedae, para a dragagem do Rio Bomba, além da execução de um projeto urbanistico-residencial que acabe com a imagem do lixo e se transforme num cartão postal para as duas cidades.
A poluição do rio é o limite da degradação da Baia de Guanabara. No lado de Niterói, há pureza, pois a cidade tem 90% de seu esgoto tratados, quando São Gonçalo está na situação inversa e precisa dar o primeiro passo para a despoluição.
Esta é uma boa bandeira para o vereador Fabiano Gonçalves, candidato a deputado federal.

Progresso ordenado

A Prefeitura de Niterói definiu o dia oito de novembro a licitação para construir o Parque Esportivo projetado para substituir a Concha Acústica, nascida quando Jorge Roberto Silveira acabou com o Estacionamento Norte criado por Jaime Lerner na gestão de Moreira Franco.
Após o projeto apresentado pelo Secretário de Esportes, Luiz Carlos Gallo, a Prefeitura autorizou a construção de grande condomínio no lado oposto da rua que já tem dificuldades para escoar o tráfego.
A opção agora é a redução da área frontal para permitir a duplicação do trecho da via, ligando o trecho da rua sem nome entre o posto de gasolina e a área da Concha até a rua Guilherme Briggs, inclusive com a eliminação da dupla calçada lateral, junto à Enel, grande parte destinada a estacionamento privativo, de pouco uso.

Não vai faltar

A vacinação já demonstrou a sua eficiência baixando drasticamente casos de infecções e de óbitos e, para felicidade geral da Nação, não existe o menor risco de falta do imunizante.
A Fio Cruz tem 16 milhões de doses em estoque e acaba de receber 5,1 milhões de litros do IFA para ampliar a produção. Além disto, até dezembro, estará produzindo o IFA-nacional, que tanto fez falta no final de 2020 e no início deste ano.

Quando todos comemorávamos a vitória sobre o negacionismo, a pandemia passou a atacar personalidades do governo federal, inclusive o Ministro da Saúde, que já retornou da viagem epidêmica aos EUA onde, finalmente, a esposa do Presidente Bolsonaro aceitou ser vacinada.

E o Moro?

Só há nome realmente como capaz de simbolizar a distância diante de Lula e de Bolsonaro: o do juiz Sérgio Moro.
Ele conseguiu ser rejeitado por Lula, a quem prendeu; e por Bolsonaro a quem ajudou, ao tirar os direitos políticos do ex-Presidente.
Tem direito adquirido ao lado chamativo; “Nem Lula e nem Bolsonaro”.
Mas é certo que não terá o voto de Bolsonaro e nem do Lula.
Se candidato, quem financiaria sua campanha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 6 =