Painel: Nenhum nome terá maioria absoluta

Nenhum dos nomes cotados preferencialmente para a Presidência da República ou para o Governo do Estado do Rio têm condições de alcançar a maioria absoluta (51%) e, assim, evitar um segundo turno de votação. As pesquisas atuais indicam os atuais favoritos com menos de 40% de intenções de votos, e com cinco deles na faixa de 38 a 33%: Bolsonaro, Lula, Ciro Gomes, João Dória e Sérgio Moro.

Fator importante: a rejeição é alta para sete nomes mais badalados como Rodrigo Pacheco (65%), Moro (61%) e, ainda acima de 50%, para Bolsonaro, Dória, Ciro e Leite, com Lula rejeitado por 40%.

Com relação ao Estado do Rio, começou a despontar o nome do General Mourão à frente do governador Cláudio Castro, da ala bolsonarista. Ele só seria vencido por Eduardo Paes que promete não disputar e apoiar o advogado Fernando Santa Cruz (PSD) para se opor a Marcelo Freixo, indicado por Lula. Rodrigo Neves aparece no quarto lugar.

A Árvore de Natal está aí

Só o intenso nevoeiro da noite de ontem ofuscou o brilho da feérica iluminação de uma das duas plataformas de petróleo fundeadas entre o Forte do Gragoatá e o Aeroporto Santos Dumont. Elas estão na fase de reparos nos estaleiros, e a iluminação de segurança leva-as à classificação como ‘Árvores de Natal’ e são mais charmosas que as artificiais montadas nos fins de ano na Lagoa Rodrigo de Freitas ou eventualmente em São Francisco ou na Boa Viagem.

Leilão decola polêmica

Está previsto para abril do ano que vem o leilão do aeroporto Santos Dumont. Mas as polêmicas já começaram a levantar voo desde então. De um lado, o governo federal defende que o aeroporto não sofra nenhuma restrição de operação, pois ele já possui limitações naturais. No lado oposto, autoridades locais e especialistas argumentam que a inclusão de restrições no edital do leilão para que o outro aeroporto da capital, o Galeão, não seja prejudicado, principalmente com a perda de passageiros e, com isso, a quantidade de cargas desembarcada.

A lógica indica que quanto maior for o bolo do ‘Santos Dumont’, maior será o valor do lance. Um bolo com menos fatias, deve ser depreciado.

Não é demais lembrar que, no ano que vem, teremos eleições. Um grande leilão representa dinheiro em caixa para o governo.

Galeão ‘velho’

Bom lembrar que o Terminal 1 do Galeão – a parte original do aeroporto – está desativado desde novembro de 2016. Com isso, todas suas operações do Galeão estão concentradas no Terminal 2, inclusive emissão de bilhetes, despacho e restituição de bagagens, lojas de companhias aéreas, locadoras de automóveis e operações de embarque e desembarque doméstico e internacional ali realizadas.

O Terminal 1 parece até um cemitério do aeroporto. A edificação somente é utilizada para como ponte de acesso às aeronaves, o que faz o passageiro, andar mais de um quilômetro da área de embarque até o seu portão de acesso.

Vai Cair

A portaria publicada nesta segunda-feira (1º) pelo Ministério do Trabalho e Previdência, proibindo a demissão de pessoas que não foram vacinadas contra a Covid-19, é mais uma demonstração clara de que o mesmo governo que compra milhões de imunizantes, e patrocina campanhas de vacinação na mídia é contra a mesma.

Assinada pelo ministro Onyx Lorenzoni (foto), a portaria 620, diz que empresas e órgãos públicos não poderão dispensar funcionários que não comprovem ter recebido a imunização contra o novo coronavírus.

Em Niterói, servidor que não toma vacina, fica sem receber salário e está sujeito a medidas disciplinares.

Muito em breve, veremos as cortes superiores de justiça, mais uma vez, dando a palavra final.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.