Painel: COMO SERÁ O AMANHÃ…

Mesmo na era da informação tecnológica, em política, o meio mais seguro utilizado para transmissão de conversações é o antigo ‘telefone sem fio’. E foi justamente em algumas conversas ‘interceptadas’ nos corredores do Palácio Guanabara que tomamos conhecimento de que o governador Cláudio Castro (PL) teria feito pesquisas qualitativas, cujo resultado apontaria que ele teria melhor desempenho eleitoral caso conseguisse desvincular-se do bolsonarismo.

A questão é a seguinte: Castro goza da simpatia dos eleitores arrependidos de Bolsonaro. E, ao contrário do presidente, não adotou postura negacionista durante a pandemia, principalmente nos momentos de maior gravidade e incidência de mortes.

De igual forma, como não faz oposição ao governo federal, ele goza da simpatia dos bolsonaristas. A tentativa era conseguir fazer com que o governador mantivesse uma distância de segurança do presidente: nem tão perto, ao ponto de ser considerado bolsonarista; nem tão longe, ao ponto de ser considerado um opositor.

… RESPONDA QUEM PUDER

Na teoria, o plano seria ‘infalível’. A não ser por um mínimo detalhe: a iminente entrada de Bolsonaro no PL – partido de Castro –, após o convite feito pelo presidente nacional da legenda, o ex-lulista Waldemar Costa Neto.

Mas a chegada da família Bolsonaro à legenda implode o plano articulado pelo governador. E mais: há enorme potencial de sua relação com o presidente da Alerj, André Ceciliano, do PT, azedar. Há quem sustente a existência de várias digitais ’Cecilianas’ no estado, inclusive, ocupando a chefia de gabinete da Secretaria Estadual de Governo, onde nada, em tese, aconteceria, sem o conhecimento do chefe do Legislativo.

E mais: André Ceciliano tem ambições para o senado. Atualmente, ele é o principal articulador político do estado e fiel garantidor da governabilidade e das noites de sono palacianas de Castro. E cabe a ele, enquanto presidente do parlamento estadual, conduzir as votações na Alerj e, principalmente, acatar pedidos de impeachment contra o governador.

O QUE IRÁ LHE ACONTECER

Uma simples canetada pode instalar uma comissão processante, semelhante àquela que julgou Witzel e o condenou. Mesmo que seja absolvido, haverá o desgaste moral, social e político de um processo e de todo o seu julgamento.

A solução para uma eventual mutação ‘Castronarista’ deve custar caro aos cofres públicos. O governador terá que lotear – ainda mais – o seu governo, o que pode lhe custar caro no futuro, tanto quanto foi para os seus antecessores Witzel, Pezão e Sérgio Cabral.

Mesmo sobrevivendo a mutação ‘Castronarista’, o atual governador terá de ser bastante seletivo com seu eventual vice, embora o ‘cardápio’, por conta das alianças a serem firmadas em nível nacional, vá lhe deixar restrito a alguns ‘pratos feitos’, talvez requentados e sem direito sequer a um ovo frito para incrementar.

Salada

Tá aí um prato que vai bem em qualquer refeição. Na eleição passada, Comte Bittencourt foi vice de Eduardo Paes, enquanto Cláudio Castro era vice do governador cassado Wilson Witzel. Castro assumiu o governo do Estado e Comte foi secretário estadual de educação. Saiu exonerado. Mas, em menos de três anos, conseguiu estar em dois lados antagônicos da política. E, ultimamente, ronda o ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, que tem pretensões na sucessão estadual. Não seria surpresa se alguma se Comte fosse uma das opções no ‘cardápio’ em uma eventual mutação ‘Castronarista’.

A MÁSCARA CAIU

Eduardo Paes prometeu e cumpriu. Acabou com a obrigatoriedade do uso de máscara em lugares abertos na cidade do Rio de Janeiro.

Isso quer dizer que as pessoas que saem de Niterói de máscara, podem chegar no Rio e tirar. Mas ao voltar pra Niterói, tem que recolocar. Afinal, Niterói não é uma ilha.

Feira da solidariedade

O Padre João Cláudio Nascimento vai realizar, no sábado da outra semana, 06/11, no Campo de São Bento, das 9h às 15h, a 5ª Feira da Solidariedade de Niterói (Fesonit). Reunindo 20 Paróquias da zona sul e norte da cidade, instituições e ONGs, a feira vai, acertadamente, homenagear as pessoas que se destacaram na prática da Caridade. As honrarias serão presenciais e in memorian. O cerimonial será às 9h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + dezesseis =